terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Exército diz que 'luz' de ação em MS pode ter sido confundida com óvni


Facho de luz tem condição de iluminar área de 400 metros quadrados.
Exercícios duraram 12 minutos e puderam ser vistos em toda a área urbana. 


Foco foi emitido por artefato iluminativo da FAB (Foto: Divulgação/18° Brigada de Infantaria Fronteira)Foco foi emitido por artefato da FAB (Foto:
Divulgação/18° Brigada de Infantaria Fronteira)
Um forte facho de luz no céu causou surpresa entre os moradores de Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande, na noite do último domingo (27), segundo o Exército. As luzes, inicialmente confundidas pela população com óvnis, eram emitidas por um artefato lançado por uma aeronave em treinamento.
De acordo com o major Denis de Miranda, da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira, o quartel recebeu vários chamados telefônicos durante a ação. "Muitas pessoas ficavam sem entender o que eram essas luzes, e como ouviam o barulho dos caças, pensaram que eram óvnis. Nós esclarecemos a todos os que nos procuraram", relata.As luzes, compostas por fósforo branco, servem para dar apoio a tropas terrestres e tem condições de iluminar um raio de 400 metros. Conforme a necessidade, podem ser lançados vários de uma vez, ampliando a área a ser iluminada. “Transforma a noite em dia”, afirma o oficial.
Facho de luz ajudará tropas a se deslocarem durante a noite (Foto: Divulgação/18° Brigada de Infantaria Fronteira)
Facho ajuda tropas a se deslocarem à  noite (Foto:
Divulgação/18° Brigada de Infantaria Fronteira)
Essa foi a primeira vez que um exercício desse tipo foi realizado em Corumbá, e a ação foi mantida em sigilo. Os exercícios duraram cerca de 12 minutos e puderam ser vistos em toda a área urbana da cidade. Os objetos foram lançados em pequenos paraquedas por dois caças AMX, da Aeronáutica.
As aeronaves partiram da Base Aérea de Campo Grande e chegaram ao destino em 20 minutos. Miranda explica que foram lançados quatro artefatos, e cada um deles tem duração média de três a cinco minutos, dependendo das condições climáticas.
O objetivo do exercício era testar a eficácia do equipamento em atividades militares na região. “Constatamos que houve um êxito de 100%”, explicou o major. O exercício faz parte da Operação Ágata 3, que envolve as Forças Armadas, além da Polícia Federal, Polícia Militar Ambiental, Força Nacional, Receita Federal, entre outros.
.

2 comentários:

  1. Bacana como no nosso território cerca de 70% é floresta fica facil agora se localizar no ponto ordenado mas tambem tropas inimigas saberão a localização

    ResponderExcluir
  2. Agora está explicado o dia que a terra parou na bíblia, na luta de Josué e os israelitas contra os amorreus... hehe

    ResponderExcluir

Por favor, note que os comentários são moderados e que todos
os spams, insultos, proselitismo e discursos de ódio serão removidos.