sexta-feira, 30 de setembro de 2011

O APOCALIPSE SEGUNDO O APOCALINK: Parúsia - Parte 2

Um pouco antes de sua morte, o Messias conversou em particular com seus discípulos. Esse encontro deu-se no Monte das Oliveiras, uma coli­na perto de Jerusalém. Os apóstolos fizeram-lhe uma pergunta muito per­tinente, registrada em Mateus 24:3:

"Dize-nos", pediram eles, "quando sucederão estas coisas, e que sinal haverá da tua vinda (Parúsia) e da consumação do século?"

Revelarei agora a resposta dada por Ele. Depois apresentarei detalhes a respeito de cada questão e estabelecerei o devido vínculo com as pro­fecias do Apocalipse. Esses sinais, pressagiados pelo profeta Jesus Cristo, estão diretamente relacionados ao período da Grande Tribulação, que te­rá a duração de sete anos.

Versículos 4,5
E Ele lhes respondeu: "Vede que ninguém vos engane. Porque vi­rão muitos em meu nome, dizendo: "Eu sou o Cristo", e engana­rão a muitos.
Versículo 6
E, certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; ve­de, não vos assusteis, porque é necessário assim aconteça, mas ainda não é o fim.
Versículo 7
Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes e terremotos em vários lugares.
Versículo 8
Porém tudo isso é o princípio das dores.
Versículo 10,11
Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros; levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos.
Versículo 12
E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos.
Versículo 21
Porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o prin­cípio do mundo até agora não tem havido, nem haverá jamais.
Versículo 22
Não tivessem aqueles dias sido abreviados, ninguém seria salvo; mas, por causa dos escolhidos, tais dias serão abreviados.
Versículo 24
Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos.
Versículo 25
Vede, eu vo-lo tenho predito.
Versículo 35
Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão.
Em Lucas 21, há um enunciado paralelo no qual o Messias estende-se um pouco mais sobre essa profecia:
Versículo 25
Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; sobre a Terra, angústia entre as nações em perplexidade por causa do bramido do mar e das ondas.
Versículo 26
Haverá homens que desmaiarão de terror e pela expectativa das coisas que sobrevirão ao mundo.
Versículo 28
Ora, ao começarem estas cousas a suceder, exultai e erguei a ca­beça; porque a vossa redenção se aproxima.
Lucas 21:25, 26, 28

Observem o último comentário. O Messias diz que quando virmos essas coisas, saberemos que nossa redenção se aproxima. Eu argumenta­ria que todas essas coisas já estão acontecendo. Mas vamos ser mais es­pecíficos. O primeiro sinal contra o qual o Messias nos acautelou foi:

1. Falsos cristos, falsos profetas e a impostura

O leitor já terá notado, ultimamente, a profusão de cultos e seitas ex­cêntricos que aparecem nos noticiários. Centenas, se não milhares de no­vos grupos estão brotando por todo o hemisfério ocidental. A maioria deles tem um líder que afirma estar autorizado por Deus. Todos acredi­tam estar de posse da verdade.
Tem havido, também, um enorme aumento no número de "falsos profetas". Cada vez que abrimos um jornal ou uma revista defrontamos com um anúncio que oferece predições pessoais sobre o futuro. É possí­vel ligar para uma emissora de rádio para relatar problemas pessoais e pedir a um "profissional" que leia para nós as cartas de Taro e nos diga como lidar com nossa situação. De cada quatro pessoas que apanham um jornal no Reino Unido, três lêem seus horóscopos. Por toda parte abrem-se lojas de artigos místicos e lojas "Nova Era". Nelas podem-se encontrar livros e informações sobre todas as artes e práticas ocultas da Nova Era. Podem-se encontrar desde baralhos de Taro a mapas astrológicos, de pe­dras da sorte a cristais. Portanto, isso é uma manifestação do predomínio de falsos profetas e impostura, que, segundo previsões, presenciaríamos com a aproximação dos últimos dias. Ninguém está ensinando qualquer doutrina cristã alternativa a nossos filhos. Em consequência, eles absorvem sofregamente essa impostura para preencher o vazio espiritual em suas vidas.
Somos especificamente proibidos de nos relacionar com cartoman­tes, adivinhos, necromantes e outros falsos profetas que estão em oposi­ção ao Deus verdadeiro e seu filho. Frequentemente a Bíblia nos previne sobre essas pessoas, mas por desconhecermos essas verdades somos pre­sas fáceis para os agentes das trevas. Imagine, leitor, que você quisesse conhecer o futuro e estivesse num saguão onde houvesse duas portas. Numa das portas está o nome Jesus Cristo. Na outra, Luis Cifer. Por qual dessas portas você passaria? A maioria das pessoas que eu conheço não tem constrangimento em consultar adivinhos, astrólogos ou quiromantes. Mas quando tento lhes transmitir o que o Messias diz sobre o futuro elas não querem saber. De fato, muitas delas ficam francamente aborre­cidas.
A primeira coisa contra a qual somos acautelados durante o perío­do de tribulação são as pessoas que afirmam ser cristãos autênticos e pro­fetas do Deus verdadeiro. Quando virmos esses sinais começarem a se manifestar, saberemos que o tempo está próximo. Abra os olhos. Olhe à sua volta. A adversidade é iminente.

2. E ouvireis falar de guerras e rumores de guerras... nação se le­vantará contra nação e reino contra reino.

Recentemente, os Estados Unidos aprovaram um vasto aumento em seu orçamento militar. A Coreia do Norte e a China têm a capacidade de de­vastar cidades americanas com ogivas nucleares. A índia e o Paquistão já são potências nucleares. A Rússia tem quase o dobro das armas nuclea­res dos Estados Unidos. Juntos, esses dois países têm 35.000 armas nu­cleares, estratégicas e táticas.
Guerras estão irrompendo no mundo inteiro e rumores de guerras fervilham em dezenas de regiões. Em lugares diversos, velhos adversários estão renovando seus conflitos.
O versículo 7 diz que "reino se levantará contra reino". Reino, em grego, é ethnos, de onde nos vem "étnico". Em outras palavras, limpeza étnica quer dizer uma tribo contra outra.
Guerras e rebeliões recebem cobertura em nossos jornais e televi­sões diariamente. Mas são meros presságios da última grande guerra que será travada ao final dos sete anos da Grande Tribulação. Como foi dito anteriormente, quando virmos todas essas coisas se realizarem, isso será como as dores do parto. À medida que o nascimento se aproxima, a intensidade da dor aumenta. Veremos mais e mais guerras e potencialida­des para a guerra entre mais nações. Veremos mais limpezas étnicas entre povos diferentes. Todas essas coisas terão de acontecer.
Vejam-se as páginas da história. Desde o início estão repletas de re­latos de batalhas e triunfos de um exército sobre outro. Desde que Caim matou seu irmão, Abel, o homem não cessou de fazer guerra contra seu próximo. Diziam que a Primeira Guerra Mundial era a guerra para pôr fim a todas as guerras. Como é pequeno o conhecimento das pessoas! Em Mateus 24:22 Jesus disse que "não tivessem aqueles dias sido abreviados, ninguém seria salvo". Foi somente em anos recentes que alguns países vieram a possuir armas capazes de destruir todas as coisas viven­tes da face da Terra. Se não aprendermos com a história, estaremos con­denados a repeti-la.




3. Haverá grandes terremotos, epidemias e fome em vários luga­res. (Lucas 21:11)

Os terremotos vêm aumentando com frequência e intensidade em todas as décadas desde o início dos registros nos fins do século 19. Até a déca­da de 1950, ocorriam, em média, de dois a quatro terremotos de vulto a cada dez anos. Na década de 1960 houve 13 grandes terremotos. Na dé­cada de 1970, houve 51. Nos anos da década de 1980, 86. E entre 1990 e 1996, houve mais de 150 grandes terremotos.
Além dos terremotos, continuam as predições, as pessoas ficarão "per­plexas por causa do bramido do mar e das ondas". Aqui, acredito que o Messias estivesse se referindo a um aumento da incidência da imprevisibilidade climática. Culpa-se o aquecimento global pelo clima excêntrico que vimos experimentando em cada quadrante do globo. Tornados e furacões destroçam cidades e aldeias, deixando devastação e morte em seu rasto. Ondas monstruosas inundam terras baixas e afogam milhares. Inundações em escala jamais observada desalojam milhões de pessoas. Em todos os países os padrões climáticos estão sofrendo alterações. As calotas polares estão derretendo e já recuaram cerca de 240 quilômetros durante os últi­mos dez anos. O buraco na camada de ozônio já tem as dimensões da Amé­rica do Norte, incluído nesta o Canadá. Ainda que quiséssemos tomar providências para desfazer essa tendência, não o conseguiríamos.
Com relação à fome e à pestilência é a mesma história. A fome co­letiva está aumentando no mundo inteiro, não obstante o fato de que existe superprodução de alimentos no mundo desenvolvido. Seria de es­perar que, nestes dias de fibra óptica, ciberespaço e internet, tivéssemos encontrado uma maneira de alimentar pessoas famintas. Numa época em que a fome coletiva continua a devastar o Terceiro Mundo, fazendeiros de outros países estão sendo retirados da terra numa proporção alarmante. E esse padrão está sendo repetido em escala mundial. Será coincidência, ou haverá outra coisa ocorrendo aqui? Jesus disse que um aumento co­lossal de pestilência (doenças) ocorreria nos últimos dias. É difícil saber onde começar, pois quase semanalmente ficamos sabendo da existência de vírus novos e mais resistentes e novas formas de bactérias letais são descobertas.
Não obstante os avanços da medicina, doenças antigas que imagi­návamos extintas estão reaparecendo e matando milhões de pessoas no­vamente. Cólera e malária são dois exemplos: três mil crianças morrem de malária diariamente. A tuberculose é outra moléstia que julgávamos estar sob controle. Atualmente, ela está dizimando três milhões de pessoas por ano. O vício de heroína, crack e cocaína são outras formas de pestilência que tocaiam nossas cidades, sugando a vida dos nossos jo­vens. E existe a AIDS.
Em todos os países da África é a mesma história. Em certas aldeias, só se encontram velhos, velhas e crianças novas e órfãs. Atualmente, mais de 25 milhões de pessoas na África são portadoras do vírus HIV, e esse nú­mero cresce rapidamente.
Entre as pessoas de baixa instrução na África, existe uma lenda ur­bana em circulação que é verdadeiramente arrepiante. As pessoas acre­ditam que se alguém tiver AIDS e mantiver relações sexuais com um bebê, sua doença será curada. Na África do Sul, recentemente, nove ho­mens foram a julgamento pelo estupro de uma menina de dez meses. É hediondo, mas está acontecendo por todo o continente africano.
A população mundial cresce à razão de 90 milhões de pessoas por ano e vai dobrar de seis bilhões para 12 bilhões em 40 anos. Recente­mente, o Millenium Institute registrou as seguintes projeções ambientais alarmantes:

  As espécies biológicas estão se extinguindo à razão de 104 por dia (são quase 38.000 espécies de animais, peixes, plantas etc. que se extinguem a cada ano).
  Nos próximos dez anos, um terço de todas as espécies que existem ho­je terá desaparecido.
  Em menos de cinco anos, mais da metade das reservas mundiais de pe­tróleo terá sido consumida.
  Em aproximadamente 60 anos a concentração de dióxido de carbono na atmosfera da Terra terá dobrado.
Da próxima vez que a sua mente estiver saturada de imagens televi­sivas de guerra, fome, pestilência, doenças e desastres naturais, lembre-se de que sua redenção está próxima.

"Exultai e erguei a vossa cabeça; porque a vossa redenção se apro­xima."
Lucas 21:28



Um comentário:

  1. PETIÇÃO EM FAVOR DO PASTOR YOUSEF NADARKHANI

    A Igreja brasileira pode ajudar as organizações internacionais a tentar impedir que o pastor Nadarkhani seja morto em razão de sua fé. É possível assinar uma petição pública no site da Christian Solidarity Worldwide através deste link e-activist.com/ea-action/action?ea.client.id=88&ea.campaign.id=12209.

    Tutorial para preencher o abaixo assinado.

    1) preencha os espaços requeridos com seus dados pessoais: nome, sobrenome, endereço, Cidade, CEP e email.

    2) no espaço onde está escrito ADD YOUR MESSAGE HERE, copie e cole o email abaixo (favor, não acrescentar nada além do que já está escrito)

    Your Excellency, the Ambassador of Iran
    Dear Sir,
    Along with many other people around the world, I have been following with great concern the case of Pastor Yousef Nadarkhani, who is being tried by a court in Rasht due to his religious beliefs.
    I am writing to express my concern and hope that the court will drop all charges against Pastor Yousef, in accordance with international law and especially Iranian law and constitution, which clearly allows freedom for Christians to maintain their religious beliefs and practices.
    I am also requesting Your Excellency to pass on my appeal and that of many others to the Iranian government, as a matter of great urgency in this case, so that an innocent person may not be condemned and the constitution of Iran may not be violated.
    I am very grateful for your attention to this request.
    Respectfully and sincerely,

    ResponderExcluir

Por favor, note que os comentários são moderados e que todos
os spams, insultos, proselitismo e discursos de ódio serão removidos.