sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Discípulo de Jesus ou Consumidor da "Igreja"...



As instituições religiosas se tornaram prestadoras de serviços para o consumo de pessoas. Os principais serviços prestados e consumidos são: sermões, músicas, estudos, programações, etc.

A seguir, objetivando a reflexão, numero os principais problemas das grandes instituições religiosas:

1. Incentiva a falsa superioridade religiosa: “sou melhor do que você porque minha igreja é a certa e a sua não”!

2. Divulga o exclusivismo salvacionista: “se você não for de tal igreja, você não será salvo”.
3. Pratica a “venda” da salvação: prega que quem não dá dízimo não será salvo.

4. Busca conquistar clientes e chama-os de membros, que serão incentivados a dar dinheiro às organizações (através de dízimos, 2º dízimo, ofertas, pactos, ofertas especiais, plano para reforma e construção da igreja, dinheiro para missões, etc), como se estivessem dando para Deus.

5. Contribui para que a maioria dos esforços das pessoas seja para a realização de programações nas igrejas, e não para pregarem a Cristo. A maioria serve à instituição, pensando que está servindo a Deus.

6. Faz com que seus membros cultuem a instituição ou organização religiosa, como se fosse o próprio Deus, a ponto dos membros terem medo de fazerem algo contrário ao pensamento da liderança da instituição.

7. Busca criar nos membro, uma completa dependência da igreja (templo): “se não for ao culto, Deus não irá abençoá-lo tanto assim”. Ou, se não for ao culto, você estará pecando.

8. Prega que a construção onde ocorrem os cultos (templo), é o melhor lugar para adoração a Deus (adoração é algo que precisa ser feito a cada instante).

9. Aliena as pessoas porque não as ajuda em muitos problemas reais da vida, tais como: desemprego, doença, falta de dinheiro, etc., utilizando a famosa frase: “vamos orar, irmão”!

10. Dissemina uma segurança irreal para seus membros, insistindo que dentro da igreja (barca da salvação), as pessoas estarão salvas.

11. Ameaça os membros que dizem o que pensam e expulsa aqueles que insistem em apontar os defeitos, as falhas e os erros da instituição.
12. Há um favorecimento explícito de familiares de pessoas pertencentes à instituição: é certo emprego nas organizações religiosas para esposas, filhos, parentes, amigos, etc.

13. Boa parte da liderança das instituições religiosas, mora em casas e apartamentos de luxo, tem carros novos e às vezes caros porque é preciso que os membros vejam as bênçãos de Deus. Tudo isso é sustentado por muitas pessoas de baixa renda.

14. O discurso de pregar o evangelho a todo mundo é utilizado para angariar fundos, mas a maioria do dinheiro recebido pelas organizações eclesiásticas é utilizado para manutenção da máquina administrativa e não para pregar o evangelho.

15. Atualmente, boa parte dos sermões fala sobre o evangelho da prosperidade, que é uma tentativa de adaptação dos princípios capitalistas ao cristianismo.

Se você sentiu que vivencia algumas questões citadas acima, avalie a necessidade de uma mudança em sua vida, ore e pergunte ao Eterno o que Ele quer que você faça!

Só lembrando: Jesus mandou-nos fazer discípulos e não criarmos instituições religiosasE igreja são pessoas e não paredes. Você sabe como cumprir a ordem de Cristo e fazer discípulos?

Continuem com Jesus!

Um comentário:

  1. Isto existe há centenas de anos não é somente deste período, pois lideres patriarcas de igrejas tradicionais pertenciam e ainda pertencem á maçonaria.

    ResponderExcluir

Por favor, note que os comentários são moderados e que todos
os spams, insultos, proselitismo e discursos de ódio serão removidos.