quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Como nos dias de Noé, o retorno dos Nefilins- Parte 13 : Os anjos decaídos e os heróis mitológicos(Centauros, Esfinges)




MONUMENTOS, PINTURAS, TEXTOS ANTIGOS  E A BÍBLIA SAGRADA PARECEM PROVAR A PRESENÇA DE SERES DIFERENTES DE NOSSA RAÇA DENTRO DE NOSSAS CULTURAS...

QUEM ERAM?
DE ONDE VIERAM?
QUAL ERA SUA MISSÃO?
ELES IRÃO RETORNAR?

COMO NOS DIAS DE NOÉ: O RETORNO DOS NEFILINS!



 ''Gen. 6:1-4 apresenta uma mistura de categorias - de deuses e mortais - e a procriação de uma categoria híbrida de semideuses que é da natureza do mito para suprimir. Mary Douglas mostrou a preocupação dos antigos pensadores israelitas com a supressão de anomalias em leis dietéticas e nas leis de parentesco. Essas "leis de pureza", como ela os chama, servem para manter "distintas as categorias de criação".  A mesma tendência esta no trabalho em Gênesis 6:1-4. A mistura sexual dos filhos de Deus e as filhas dos homens cria um desequilíbrio e uma confusão na ordem cósmica.(Onde não se reproduzem segundo a sua espécie). O nascimento dos semideuses ameaça o tecido do cosmos .... A conclusão natural de Gen 6:1-4, de acordo com a lógica do mito, é o dilúvio - a destruição da humanidade e da aniquilação concomitante da doença genética. O desequilíbrio cósmico é resolvida por uma grande destruição, do qual nasce uma nova ordem.''
-Hendel




 Agora estamos preparados para demonstrar a influência da presença dos Nephilim na Terra, antes do Dilúvio de Noé, e do efeito que produziram nela. Os textos nos dão escassas informações, mas acredito que se juntarmos os detalhes fornecidos por fontes antigas com as evidências encontradas em hieróglifos e outros registros escritos, chegaremos a uma conclusão acei­tável.


A análise da informação de que dispomos nos permitirá preencher a lacuna de maneira sensata e encontrar a resposta correta. Mas para co­meçar essa análise, devemos voltar à passagem original em Gênesis 6 uma vez mais.

''Como se foram multiplicando os homens na Terra, e lhes nasce­ram filhas, vendo os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas, tomaram para si mulheres, as que, entre todas, mais lhes agradaram.

Então disse o Senhor: "O meu espírito não agirá para sempre no homem, pois este é carnal; e os seus dias serão cento e vinte anos." Ora, naquele tempo havia gigantes (Nephilim) na Terra; e também depois, quando os filhos de Deus possuíram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos; estes foram heróis, homens de renome, na antiguidade.

Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na Terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração.''

Gênesis 6:1-5

Arrependido de ter feito o homem, o Senhor decidiu destruir todas as coisas viventes:

"Farei desaparecer da face da Terra o homem que criei, o homem e o animal, os répteis e as aves dos céus; porque me arrependo de os haver feito."

A Terra estava corrompida à vista de Deus e cheia de violência. Viu Deus a Terra, e eis que estava corrompida; porque todo ser vi­vente havia corrompido o seu caminho na Terra.

Gênesis 6:7, 11-2

Que teria o homem feito de tão mau para Iahweh decidir-se a eli­minar todos os seres vivos? Examinemos cada um dos versículos e veja­mos se conseguimos extrair os indícios.
Os "filhos de Deus" casavam-se com quaisquer filhas dos homens que lhes agradassem. Em hebraico, "filhos dos Deuses" é Beni-ha-Elohim. Ben, em hebraico, significa "filho". Então Beni-ha-Elohim são os filhos de Elohim (Deus). Nos capítulos anterior,es desta série já chegamos à conclu­são de que esses "filhos de Deus" eram seres sobrenaturais criados que conhecemos como anjos. Esses espíritos faziam parte de um gru­po de anjos que se rebelaram contra Iahweh e tornaram-se malignos. O texto bíblico diz que eles "tomaram para si mulheres, as que, entre to­das, mais lhes agradaram", o que deixa subentendido que esses seres eram tão poderosos que as filhas dos homens não podiam resistir a eles. Portanto, eles tomaram para si mulheres, as que, entre todas, mais lhes agradaram. Novamente, a frase sugere mais de uma esposa e, provavel­mente, muitas.
Mas aqui parece haver um problema: como entender que seres so­brenaturais possam ter relações sexuais com mulheres humanas e gerar fi­lhos? No capítulo 1, o Gênesis nos diz que Iahweh criou todo tipo de plantas e árvores, animais e peixes, e todos eles produziriam descendên­cia "segundo a sua espécie". E, deixados intocados em seu estado natural, animais e árvores automaticamente produzirão descendência segundo a sua espécie. Isso significa que a genética de plantas e animais não admite interferência com vistas à produção de aberrações geneticamente modifi­cadas? Não, simplesmente afirma que se deixarmos a natureza seguir seu próprio curso, ela produzirá descendência segundo a sua espécie.
De maneira que, quando os espíritos malignos engravida­ram as filhas dos homens, podem ter conseguido isso por meio da enge­nharia genética.
Os antigos textos hebraicos apresentam qualquer precedente que justifique tal suposição? Acredito que sim. Consultemos Gênesis 3:17, onde Iahweh confronta Adão depois da Queda:

"Maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida.

Ela produzirá também cardos e abrolhos, e tu comerás a erva do campo."

Gênesis 3:17, 18

Quando Iahweh fez o Paraíso, só havia perfeição. Adão e Eva viviam num autêntico Jardim do Éden. Não havia cardos, nem mosquitos, nem plantas nocivas, nem insetos ou serpentes venenosas. O leão alimentava-se de capim, como o boi. Mas tudo mudou depois da Queda. Devido à in­fluência da serpente, a Terra tornou-se amaldiçoada. Satã e sua hoste de seres malignos transformaram o Paraíso num ambiente hostil. Espinhos começaram a crescer em arbustos que nunca os haviam tido. Para comer, o homem agora trabalhava duramente e suava. E a todo momento era pi­cado por mosquitos e guardava-se de outros animais é criaturas que podiam lhe fazer mal.
Sabemos que do criador, Iahweh, só pode provir o bem. Portanto, a mudança do ambiente só poderia ser resultado da interferência na gené­tica do universo inteiro por Satã e seu séquito. Não nos esqueçamos de que estamos lidando com um inimigo poderoso. Que era tão cheio de sa­piência e conhecimento que julgou estar em pé de igualdade com o Altíssimo, Iahweh.
Mas por que iria Satã querer produzir um povo maligno e fazê-lo povoar a Terra? Lembram-se da primeira promessa e profecia do Mes­sias? Quando Iahweh anunciou que o descendente da mulher esmagaria a cabeça da serpente?
Bem, ponha-se no lugar de Satã. Aqui, o Altíssimo está dizendo a ele que a linhagem da mulher, Eva, gerará o descendente que ao fim e ao cabo o destruirá. E o que pretende ele fazer para frustrar esse plano? Bem, o óbvio é destruir a linha de parentesco, de maneira que o descendente seja impedido de nascer e a sentença seja evitada. Satã começa a destruir a linhagem quando faz Caim matar seu irmão, Abel. Mas isso não impe­de que a linha continue, já que Adão e Eva tiveram muitos outros filhos. Então Satã decide povoar o mundo com sua própria descendência e cor­romper a Terra a tal ponto que a linhagem de Adão e Eva é completa­mente eliminada. Assim, a descendência da mulher se extinguirá e Satã preserva sua existência.
E então Lúcifer faz com que alguns membros do seu bando procriem com mulheres e gerem filhos. Mas não são filhos comuns. São o produ­to dos seres sobre-humanos e sobrenaturais, metade humanos, metade es­píritos do mal, metade animais , cuja única intenção é praticar o mal.
Como já dissemos, esses Nephilim estavam na Terra "naqueles dias", isto é, nos dias de Noé. Ora, Noé tinha 600 anos quando o Dilúvio fi­nalmente chegou, no ano 2.348 a.C. (ver desde os primeiros capítulos desta série). Isso significa que os Nephilim estavam vivendo e se multiplicando durante, pelo menos, 600 anos antes da ocorrência do Dilúvio. Então, há 1.000 anos, aproximadamente, depois de Adão, esse povo que tinha sido submetido a mudanças genéticas, estava habitando o mundo conhecido dessa época. Entenda-se que esses Nephilim eram totalmente malignos. Eram um híbrido de espíritos do mal e homens. Malignos e iníquos por natureza e incapazes de ser recuperados e tornar-se bons, pois o mal estava em seus genes. Eram tão depravados e iníquos que haviam contaminado quase inteira­mente toda a humanidade daquele tempo.
 
 EXPERIÊNCIAS NEFILÍMICAS DERAM ORIGEM AOS HERÓIS, TITANS E DEUSES DA ANTIGUIDADE

Que crime hediondo, então, teriam cometido para que Iahweh se arrependesse de ter feito o homem e decidido destruir todo ser vivo na face da Terra com exceção de oito indivíduos? E, em segundo lugar, que povo era esse que perverteu a tal ponto o mundo antigo? Vamos nos em­penhar agora em responder a essas duas importantes perguntas. Primei­ramente, quem eram esses Nephilim? Observemos novamente o versículo 4 de Gênesis 6:

Ora, naquele tempo (época de Noé) havia gigantes (Nephilim) na Terra; e também depois (depois do Dilúvio), quando os filhos de Deus possuíram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos; estes foram heróis, homens de renome, na antiguidade.

O versículo acima contém todos os detalhes que nos são dados re­lativamente a esses "heróis da antiguidade." Mas essa passagem é reple­ta de informações.
Segundo o texto, os Nephilim eram os heróis da antiguidade, os ho­mens de renome. Em hebraico, "renome" significa "os homens de no­me", isto é, homens que receberam um nome e ficaram famosos como heróis. E qual foi a magnitude do pecado deles?

Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na Terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração. A Terra estava corrompida (hebraico: shachath = destruída) à vis­ta de Deus e cheia de violência.

Viu Deus a Terra, e eis que estava corrompida; porque todo ser vi­vente havia corrompido o seu caminho na Terra.

Gênesis 6:5, 11,12

As coisas devem ter ficado extremamente graves quando lemos que "era continuamente mal(ou seja quando não estavam pensando no mal , eles estavam praticando) todo desígnio do seu coração", e que a Terra estava cheia de violência. Avancemos agora para o Novo Testamento, que ilumina um pouco mais o fundo de cena dessa situação. Falando dos an­jos caídos, a Epístola de Judas, 6, nos diz:

E a anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas aban­donaram o seu próprio domicílio, Ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande dia. Como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregado à fornicação como aqueles, seguindo após ou­tra carne...
Epístola de Judas 6, 7

Os versículos acima nos dizem que esses anjos do mal deixaram sua própria morada. Em grego, essa palavra é oiketerion e só é empregada aqui e em 2 Coríntios 5:2, onde se refere ao "corpo espiritual". Dá a entender então, que es­ses anjos deixaram seu corpo espiritual e vieram em forma física a fim de gerarem os Nephilim, sobre-humanos em tamanho, em iniquidade e em maldade. Tão hediondos foram seus crimes que Iahweh não apenas des­truiu todos os animais vivos na face da Terra, mas também os milhões de pessoas que se haviam tornado inteiramente maléficas e moralmente fa­lidas por causa das atividades dos Nephilim. O pecado deles é equipara­do às perversões e imoralidade sexual de Sodoma e Gomorra e das cidades circunvizinhas.
O pecado que esses espíritos caídos cometeram levando à devassi­dão, e praticamente todo o mundo conhecido da época foi tão vil, que precipitou o Dilúvio. Essa inundação universal está bem documentada nos anais históricos da maior parte dos países do mundo antigo. Des­truiu todo ser vivo à exceção de oito almas e animais que Noé foi ins­truído a recolher na arca. Mas água não mata seres sobrenaturais, não mata anjos. Quando lemos que esses anjos deixaram sua esfera espiritual, infere-se que não poderiam regressar ao seu lugar de origem. Assim, por causa do pecado deles, Iahweh lançou-os em um lugar chamado Tártaro, onde aguarda­riam o julgamento futuro.
Mas seu crime consistia simplesmente na imoralidade sexual exces­siva e violência universal, ou haveria algo mais? Acredito que havia algo mais. É uma teoria que não aparece declarada em quaisquer das Escritu­ras. Entretanto, um exame dos antigos relatos escritos do período ante­rior ao Dilúvio, e até mesmo posteriores, faz-me acreditar que podemos elaborar um bom argumento.
Conforme já foi mencionado anteriormente, parece haver indicações de que esses seres sobrenaturais praticavam algum tipo de engenharia ge­nética, note que:

1- dois dos espias israelitas trouxeram um cacho de uvas numa vara da terra habitada pelos Nephilim nos dias de Moisés. 
2-Mais tarde encontramos Golias, o geteu, que tinha seis dedos em cada mão e em cada pé
3-No presente capítulo, vimos como a Terra havia mudado de­pois da queda do homem. 4-Apareceram plantas nocivas e insetos veneno­sos e outras criaturas que nunca fizeram parte do Éden original. 

Influências maléficas devem ter interferido no DNA de todas essas plantas, animais, in­setos etc, provocando mudanças e transformando-os naquilo que são atualmente. Consequentemente, quando os anjos caídos se acasalaram com as filhas dos homens, é possível que tenham utilizado engenharia genéti­ca para engravidar as mulheres e gerar as funestas aberrações monstruosas chamadas de Nephilim. Estes, por sua vez, produziram descendência de monstros maléficos sobrenaturais e sobre-humanos. No decorrer de várias centenas de anos - Noé estava construindo a arca durante parte desse pe­ríodo - esse povo corrompeu o mundo todo com sua imoralidade, perver­sões e violência. E apenas oito almas conservaram sua verdadeira natureza e foram salvas: Noé e sua família.

OS ANJOS DECAÍDOS MOLDARAM A CULTURA DO MUNDO ANTIGO 





Vamos avançar um pouco mais aqui. Se examinarmos escritos e fi­guras antigas, veremos algumas imagens esquisitas de muitos dos países que circundam a área onde a humanidade vivia àquela época. Vemos fi­guras de seres metade humanos e metade animais
Figuras de centauros, cuja parte superior do corpo era de homem, e a parte inferior, de cavalo. 

Na mitologia grega, os centauros (em grego Κένταυρος Kentauros, "matador de touros", plural Κένταυρι Kentauri; em latim Centaurus/Centauri) são uma raça de seres com o torso e cabeça humanos e o corpo de cavalo.

Repartiam-se em duas famílias:

  • Os filhos de Íxion e Nefele, que simbolizavam a força bruta, insensata e cega. Viviam originalmente nas montanhas da Tessália e alimentavam-se de carne crua. Alternativamente, consideravam-se filhos de Kentauros (o filho de Íxion e Nefele) e algumas éguas magnésias, ou de Apolo e Hebe. Conta-se que Íxion planejava manter relações sexuais com Hera, mas Zeus, seu marido, evitou-o moldeando uma nuvem (nefele, em grego) com a forma de Hera. Posto que Íxion é normalmente considerado o ancestral dos centauros.

Os centauros foram expulsos da Tessália e vieram a habitar o Épiro. Mais tarde Héracles exterminou quase todos. Cenas da batalha entre os Lápitas e os centauros foram esculpidas em baixo relevos no friso do Partenão, que estava dedicado à deusa da sabedoria Atena.
FONTE: Wikipédia


Estátuas de esfinges que mostram uma cabeça de homem ou de mulher colocada no corpo de um leão (ver Figura 6). Em outros relevos, ainda, vemos estranhos animais que parecem ter prolongamentos humanos (ver Figura 7), bem como animais de quatro patas com cabeça de homem e pássaros também.
 
Um historiador egípcio de nome Manetho fez um relato desses tem­pos e escreveu extensivamente sobre as lendas do seu país. Ele descreveu exatamente essas criaturas metade humanas, metade animais e atribuiu a criação delas aos deuses. Escreveu ele:
"E eles [os deuses], segundo se dizia, produziram seres humanos com duas asas, outros com quatro asas e dois rostos; com um corpo e duas cabeças, homem e mulher, sendo a mesma criatura macho e fêmea; ainda, outros seres humanos que tinham coxas de cabra e chifres na ca­beça; outros tinham pés de cavalos; outros tinham forma de cavalo atrás e de homem na frente; diziam ainda que havia touros com cabeça de ho­mem e cães com quatro corpos, cujas caudas emergiam de suas costas como rabos de peixe; também cavalos com cabeça de cão [...] e outros monstros, como seres semelhantes a dragões [...] e grande número de criaturas fabulosas, de formas as mais variadas e todas diferentes uma da outra, cujas imagens foram colocadas lado a lado no Templo de Belos, e lá preservadas."
Trata-se tão-somente de mitos ou haverá aqui mais do que conse­guimos ver? Muitos desses relevos representam criaturas estranhas se­melhantes, e, contudo, são encontrados em diferentes regiões, como Grécia, Assíria, Itália e Egito. Examinemos novamente o versículo 7 da Epístola de Judas. Assim fala Judas sobre esses anjos caídos e as ativida­des do povo de Sodoma e Gomorra e dos povos anteriores ao Dilúvio:

... que, havendo-se entregado à fornicação como aqueles, seguin­do após outra carne...

A palavra "outra" aqui empregada é heteros em grego, que signifi­ca "um outro de espécie diferente, geralmente indicando distinção ge­nérica".
A propósito, a palavra "fornicação" aqui é ekporneuo, que é a forma intensiva de porneuo, da qual derivamos a palavra "pornografia". Por­tanto, aquilo a que se dedicavam era a pornografia intensiva e extrema. O pecado dessas pessoas era algo antinatural, que rompia os limites na­turais que Iahweh havia imposto. Poderia isso significar cruzamento en­tre homens e animais, ou entre seres humanos e aves, etc.?
A leitura de Gênesis 6, versículo 7 impressiona o leitor pela manei­ra como Iahweh pronuncia sentença não apenas contra a humanidade, mas contra os animais e outras criaturas. Observe-se:

"Farei desaparecer da face da Terra o homem que criei; o homem e o animal, os répteis e as aves dos céus..."

É compreensível que tal sentença seja aplicada aos seres humanos, pois estes têm entendimento e podem raciocinar. Mas por que destruir os pobres animais irracionais que são inocentes? Ou haverá algo mais? Con­sideremos a seguinte passagem da Epístola aos Romanos:

Sua realidade invisível - seu eterno poder e sua divindade - tor­nou-se inteligível, desde a criação do mundo, por meio das cria­turas, de sorte que não têm desculpa. Pois, tendo conhecido (grego: ginosko; conhecer pela experiência) a Deus, não o honra­ram como Deus nem lhe renderam graças; pelo contrário, eles se perderam em vãos arrazoados e seu coração ficou nas trevas. Jactando-se de possuir a sabedoria, tornaram-se tolos e trocaram a glória do Deus incorruptível por imagens do homem corruptível, de aves, animais e répteis.
Por isso Deus os entregou, segundo o desejo dos seus corações, à impureza em que eles mesmos desonraram seus corpos. Eles trocaram a verdade de Deus pela mentira e adoraram à cria­tura em lugar do Criador, que é bendito pelos séculos.
Romanos 1:20-25

O contexto desses versículos é a "criação do mundo". Pois bem, os únicos com experiência, que sabem das coisas desde a criação do mun­do são os "filhos de Deus", que "rejubilavam" e as "estrelas da alva" que juntas cantavam quando Iahweh lançava os fundamentos da terra. A se­guir, somos informados de que eles conheciam Deus. Em grego, conhe­cer é ginosko, que significa conhecer por experiência (pessoal).
Além disso, diz o texto, essas pessoas trocaram a glória do Deus imor­tal por imagens feitas para se parecerem com - vejam só - homem mortal, aves, animais e répteis! Exatamente a frase que lemos em Gênesis 6, onde Iahweh diz que destruiria homens e animais, répteis e aves dos céus!
Será que essa passagem se refere aos anjos caídos da época de Noé e ao seu comportamento imoral despropositado? Eles não seriam apenas depravados, mas interfeririam geneticamente com animais e aves e rép­teis e os transformariam em objetos de adoração. Será por isso que tan­tos dos relevos, figuras e hieróglifos representam animais, aves e répteis como metade humanos, metade animais? Não posso afirmar categoricamente a veracidade de tudo isso. Apresento os indícios como os encon­tro, e incentivo o leitor a tirar suas conclusões. Fossem essas as circunstâncias, seria muito compreensível Iahweh passar sentenças con­tra os Nephilim e seus descendentes e contra a humanidade em geral servindo-se do Dilúvio. Além disso, é fácil entender a necessidade de enclausurar os anjos caídos que perpetraram esses pecados hediondos e confiná-los no Tártaro, no aguardo do dia do juízo.

CONTINUA...

4 comentários:

  1. Iahweh ?

    Como que as pessoas afirmam saber o nome do Messias sendo que o livro do apocalipse diz que ninguém sabe o nome senão Ele Mesmo;
    Apocalipse cap;19.

    ResponderExcluir
  2. CORRETO!Mas não é um nome espécífico,mas uma referência, um atributo em outro idioma, apenas isto...

    ResponderExcluir
  3. Não concordo com nada dito neste blog.
    - Pontos:

    1º - Anjos não possuem sexo, são assexuados, logo jamais uniriam-se à mulheres.

    2º - O Dilúvio veio por causa da violência generalizada a nível global no mundo. Não havia um poder central que pudesse punir, prender infratores ou coibir crimes. Cada qual hagia conforme sua consciência.

    3º - "Filhos de Deus" e "Filhos dos Homens" nesta parte de Gênesis contextualiza claramente uma distinção da humanidade em duas linhagens adâmicas: Os filhos de Cain são cainitas - sociedade corrupta, e os filhos de Set e seus irmãos e irmãs - os setistas - linhagem santificada que invocada a Deus.
    Logo os cainitas são "Filhos dos Homens" e os setistas são "Filhos de Deus".
    Um curioso fato é que no final da genealogia de Cain, uma de suas tetranetas é chamada de Naamá, cuja tradução hebraica é muito bela, formosa. Logo as mulheres cainitas possuiriam uma beleza física talvez mais atraente. Houve um momento que as duas linhagens sempre se separavam, mas na época de Enoc, já estava exposto um evento: os setistas tomaram mulheres cainitas, por acharem formosas e belas - esta união é julgo desigual: santidade misturando com pecadores natos. Lógico que os filhos desta união jamais seguiriam preceitos de santidade e devoção. A questão de terem sido gigantes é uma mera questão genética: alelos homozigóticos. Gerações que cruzaram-se com antepassados comuns, são fatídicos manifestarem fenótipos escondidos em heterozigoze.

    4º - O mundo estava povoado pelos humanos, a corrupção generalizada espalhada por todos os cantos, aliado ao fato que havia um único continente (Pangéia). O pecado do homem amaldiçoa a Terra, por isso o dilúvio puniria o mundo inteiro, destruindo todos os acampamentos humanos pela Terra. E o peso das águas e abismos - racharam o continente único (Teoria Hidroplacas) e geraram novos continentes e ilhas, obrigando futuramente os humanos a espalharem e os animais a adaptarem a climas e habitat.

    5º - Questão de seres híbridos ou antropozoomórficos, pode ser uma situação típica de hibridismo ou fantasiosidade. Não aventuro a dissertar sobre essa questão, pois há ainda estudos buscando a veracidade. Biólogos negam possibilidade de hibridismo entre espécies de táxon de famílias e ordens distintas. Entretanto já houve a possibilidade do evento ocorrer em alguns raríssimos casos com cariótipos muitos distintos. Mas entre humanos e animais nunca foi registrado tal evento cientificamente. Não digo que seja impossível, mas não vou negar ou afirmar.
    Entretanto este fato não aconteceu antes do dilúvio, os únicos pecados registrados no período antediluviano: violência, homicídio, poligamia.
    Não havia nem idolatria, ateísmo, bruxaria, homossexualismo ou imoralidade. Naquela época o conhecimento de Deus e da história da humanidade era geral, embora muitos não obedecessem. Havia cidades (Cain fundou uma por exemplo), logo a cultura e a civilização existia desde os primórdios. Vários patriarcas viviam por centenas de anos (Set, Enos, Cain, Járed, Enoc, Matusalém e suas mulheres etc.), os homens antediluvianos uniam com mulheres.
    O dilúvio foi sim pela questão da violência global.

    ResponderExcluir

Por favor, note que os comentários são moderados e que todos
os spams, insultos, proselitismo e discursos de ódio serão removidos.