segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Como nos dias de Noé, o retorno dos Nefilins: Quando os deuses chegaram na América- Parte 11

 

MONUMENTOS, PINTURAS, TEXTOS ANTIGOS  E A BÍBLIA SAGRADA PARECEM PROVAR A PRESENÇA DE SERES DIFERENTES DE NOSSA RAÇA DENTRO DE NOSSAS CULTURAS...

QUEM ERAM?
DE ONDE VIERAM?
QUAL ERA SUAM MISSÃO?
ELES IRÃO RETORNAR?

COMO NOS DIAS DE NOÉ: O RETORNO DOS NEFILINS!


''Jesus afirma que sua vinda acontecerá no momento em que as condições sociais sejam semelhantes as que assolaram o mundo  nos dias de Noé de  Gênesis 6, e que devemos discernir que isto inclui uma invasão de forças obscuras dos  céus ... e que o fenômeno da abdução UFO é apenas uma máscara para os anjos caídos que se afastaram de seus domínios naturais se engajaram no trabalho sujo de criar uma raça alternativa que atuarão como seus procuradores ... , assim como [nos dias de Noé]querem intrometer-se nas áreas proibidas dos recursos humanos de procriação. Lascivos e sedentos de poder, eles buscam definir até sua própria raça, e seu próprio território de controle.
Mas somente nos últimos 50 anos é que  suas atividades  adquiriram uma velocidade e uma finalidade que nos falam que a época em que estamos vivendo é tambem a época profeticamente falada. Jesus nos disse, com efeito, que  quando começar-mos a ver essas coisas acontecerem(Sinais espantosos nos céus)...''
Gary Stearman

 AZTECAS,  INCAS E MAIAS E  A INFLUÊNCIA DOS DEUSES

 


 


 

 

 
 Os registros da presença dos ''deuses'' estão em todas as culturas do mundo antigo,  por conseguinte, a presença de pírâmides em todas estas  culturas demonstra que a mesma inteligência esteve por trás desta .












 
TAMBEM PARECE UMA OFERENDA A UM ''GIGANTE''








A manifestação do fenômeno nefilim teve proporções globais,sendo uma invasão mundial, assim os registros da presença dos ''deuses'' estão em todas as culturas do mundo antigo,  por conseguinte, a presença de pírâmides em todas estas  culturas demonstra que a mesma inteligência esteve por trás desta engenharia e que a América não ficou de fora da invasão alien nos tempos antigos.
Os povos antigos como os Maias, os Incas, os Aztecas e os Egípcios estavam  muito avançados para as suas épocas em termos de conhecimentos em campos tão vastos como a Astronomia, a Astrologia, as Ciências, o Artesanato, a Mecânica, etc. Há muito mistério nestas civilizações antigas, e um degrau maior, para o qual a Ciência apenas apresenta teorias e suposições no entanto a Bíblia e os escritos de muitas culturas deixaram-nos muitas informações, mas a pergunta que não quer calar: como é que estes povos desapareceram? Existem estatuetas e gravuras antigas feitas pelos Aztecas que representam “Deuses vindos do espaço” que os vinham instruir.

De fato foram registadas milhares de observações de ovnis, quer por pessoas comuns quer por pessoas com cargos importantes (militares, pilotos, marinheiros), existem alguns vídeos amadores dessas observações, muitas fotografias e os crop circles, mas que na verdade trata-se da conspiração final para enganar o mundo operado pelos ''poderes do ar''.

''segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. Efésios 2:2''
  
Em inscrições no Templo Maia , em Palenque, no mesmo lugar em que existe a enorme lousa sepulcral de pedra retratando um ser pilotando uma máquina voadora, foi encontrada a estranha múmia de um "homem-deus", Um "sacerdote do deus Kukulkan" (divindade também conhecido pelos Aztecas como Quetzalcoatl), sua cabeça era ornada com um misterioso diadema. Junto a essa múmia foram encontrados 41 discos dotados de diferentes formas e dimensões. Um morcego de jade estava encaixado na sua caixa craniana. Nas orelhas, mais placas de jade contendo inscrições hieroglíficas desconhecidas. E também as mechas de cabelo daquela criatura estavam envoltas em belíssimas contas de jade.
 
CRÂNIO ENORME E MECHAS DE CABELO

Ao pescoço, um colar contendo mais 118 contas de esmeraldas, através de nove fios concêntricos. Em cada antebraço um bracelete com outras 200 contas, e em cada dedo um anel, tudo também de jade. Nos pés várias pérolas e um pequeno ídolo representando o deus-sol! Desnecessário dizer que, dado ao seu caráter insólito e portanto contrário aos tratados convencionais de História, essa múmia "desapareceu"! E isso é apenas mais uma prova de que criaturas estranhas, de origen desconhecida, estiveram de fato presentes nas civilizações mesoamericanas.

Crânio alongado,semelhante aos encontrados no Egito



CRÂNIOS ALONGADOS, PRÓVÁVEL EXPERIÊNCIA DOS DEUSES(Nefilins)

Crânios gigantes e deformados em exposição no Museu de PARACAS


SUA PRINCIPAL DIVINDADE
  
Quetzalcóatl como divindade - uma divindade das culturas da Mesoamérica, em especial da cultura asteca, também venerada pelos toltecas e maias. É considerada por alguns pesquisadores como a principal dentro do panteão desta cultura pré-hispânica. Os astecas incorporaram esta deidade em sua chegada ao vale do México, no entanto modificaram seu culto, eliminando algumas partes, como a proibição dos sacrifícios humanos.

O nome de Quetzalcóatl é composto de duas palavras de origem náuatle: quetzal, que é uma ave de formosa plumagem que habita a selva centroamericana e cóatl, "serpente" e é usualmente traduzida como "Serpente Emplumada", "Pássaro Serpente", ou "Pássaro Serpente da Guerra"; Especula-se que a origem desta deidade provém da cultura olmeca, no entanto sua primeira aparição inequívoca ocorreu em Teotihuacan. A cultura teotihuacana dominou durante séculos o planalto mexicano. Sua influências culturais abarcaram grande parte da mesoamérica, incluindo as culturas maia, mixteca e tolteca. Os maias retomaram a Quetzalcóatl como Kukulkán.

Quetzalcoatl representa as energias telúricas que ascendem, daí a sua representação como uma serpente emplumada. Neste sentido, representa a vida, a abundância da vegetação, o alimento fisico e espiritual para o povo que a cultua ou o indivíduo que tenta uma ascese espiritual.

Posteriormente, passou a ser cultuado como deus representante do planeta Vênus, simultaneamente  Estrela da noite e Estrela da Manhã(Na bíblia o único ser que é conhecido como serpente e estrela da manhã é satanás!) , correspondendo, com o seu gêmeo Xolotl, à noção de morte e ressurreição. Deus do Vento e Senhor da Luz, era, por excelência, o deus dos sacerdotes. É às vezes confundido com o rei sacerdote de Tula. Governava o leste.


O Quetzalcoatl histórico - nasceu provavelmente por volta do ano 947. Seu pai, Mixcoatl, que era chefe dos toltecas. Ele foi originalmente chamado Ce Acatl Topitzin, que significa "Nossa Príncipe Nascido Ce Acatl", sendo este último um feriado importante tolteca. Seu nascimento foi imediatamente precedido por uma tragédia familiar terrível, o pai ter sido deposto e assassinado por um irmão ciumento chamado Ihuitmal.

filho da mãe grávida nascituros, Chimalma, fugiu para Tepoztlan. Antes de morrer no parto, Chimalma declarou que seu filho foi concebido por Deus, porque ela tinha engolido um pedaço de jade verde-azul.

Criados por seus avós, Ce Acatl Topitzin foi enviado para a escola religiosa em Xochicalco. Lá, ele impressionou tanto os professores com sua sabedoria e piedade que lhe confere o nome de Quetzalcoatl. Que significa "serpente emplumada", este foi um título de prestígio dado às pessoas cujo comportamento mostra sinais de um estado exaltado como o alcançado por um santo ou um sábio.

Voltando a Tula, Quetzalcoatl desafiou seu tio usurpador de enterrar os restos de seu pai com a cerimónia a que tinha direito. Ele então assumiu como novo líder dos toltecas, empurrando o Ihuitmal impopular em um fogo sacrificial.


Quetzalcoatl provou ser um governante sábio e progressiva. Em uma ação que demonstrou sensibilidade e auto-interesse esclarecido, ele importou um grupo de talentosos surdos-mudos conhecido como nonoalcos para trabalhar como artesãos em seu reino.

O nonoalcos eram descendentes dos artesãos altamente qualificados de Teotihuacan e foram eles que elaboraram os projetos distintos para o qual Tula é conhecida - colunas serpente, pilares praça ornamentada com frisos e porte estátuas gigantes de guerreiros.


Quetzalcoatl também aboliu os sacrifícios humanos e decretou que os objetos de sacrifício agora limitada às serpentes, flores e pequenos pássaros. É neste ponto que a linha se torna borrada entre o histórico eo lendário Quetzalcoatl.


Embora os sacerdotes eram, sem dúvida, irritado com sua proibição de sacrifícios humanos, contas das ações atribuídas a eles são, obviamente, o trabalho dos criadores de mitos e não de historiadores responsável.

Segundo esta versão, os sacerdotes convocaram um antigo deus chamado Texcatlipoca para ajudá-los a se livrar de Quetzalcoatl. Texcatlipoca era um deus do mal, e ele e os sacrifícios humanos pró-sacerdotes, obviamente, sobre Quetzalcoatl olhou como uma espécie de coração liberal-sangramento. (O sangramento corações só queriam ver eram as arrancadas de vítimas e colocou nos altares.)

Decidindo sobre um ardil, Texcatlipoca penetrou no santuário Quetzalcoatl com dois deuses menores, também o mal, e assustava, demonstrando uma nova invenção: o espelho. Fingindo amizade, que ele disfarçou, cobrindo seu corpo com tinta vermelha, plumas e uma máscara.

Serviram-lhe uma refeição deliciosa e Texcatlipoca Quetzalcoatl convenceu a beber uma bebida de pulque misturado com mel. A mistura embebedou e os conspiradores, em seguida, caiu uma moça bonita dançando em seu quarto. Ele acordou na manhã seguinte com uma ressaca ea realização horrível que ele havia quebrado seu voto de castidade sacerdotal. Atormentado pelo remorso, Quetzalcoatl vagou em exílio auto-imposto para 20 anos e acabou perto do que é hoje o porto do Golfo de Coatzocoalcos.
Lá, ele se despediu de uma banda de discípulos fiéis chorando, prometendo voltar em algum momento futuro.

 Quetzalcoatl prometeu voltar em algum momento futuro.Esta volta pode representar a ascensão do anticristo bíblico.



Ele embarcou para Yucatan, onde se tornou igualmente admirado pelos maias, que o chamou Kulkulcan, na verdade esta volta pode representar a ascensão do anticristo bíblico.



BISPO MANDOU DESTRUIR A BIBLIOTECA DOS YNCAS


Muitas pessoas estranharam que se pudesse ter conservado um crônica completa dos reis do Peru por espaço de tão largo período, e por isso colocaram em duvida a exatidão d’estas datas. No entretanto é fato hoje verificado que os quíchuas, nome de nação sobre que reinavam os incas, podiam formar e efetivamente formaram verdadeiros livros, por um método de escrita chamado “Quipo” e inventado pelos Tahuantinuyanos, o qual consistia na combinação de fios de diversas cores, com os quais perpetuavam o pensamento. O fanatismo maometano destruiu a biblioteca de Alexandria. O fanatismo católico veio também destruir a biblioteca dos incas- Aqui vai o texto notável documento que prova esse fato. Descoberto ano passado em Lima, e citado pelo Dr. J.F. Nodal em sua gramática da língua quíchua, Cuzco 1872, pg .95. “ E por quanto entre os índios, que ignoraram as nossas letras, os livros sejam substituídos por sinais a que os mesmos denominam QUIPOS , dos quais ressaltam os monumentos da superstição antiga, nos em que esta conservada a memória de seus ritos e cerimônias e leis. POR ISSO OS BISPOS DEVEM CUIDAR DE QUE TODOS ESSES INSTRUMENTOS PERNICIOSOS SEJAM EXTERMINADOS. E assim apagou-se para sempre uma das mais curiosas paginas da humanidade.










Que tipo de cultura poderia ter cultivado e celebrado esse costume demoníaco? Ali, em Chichen Itza, entre ruínas com mais de 1.200 anos de idade, houve uma sociedade híbrida, produto do cruzamento de elementos maias e toltecas. O altar de Sacrifício de Bebês. O local, criação dos olmecas, a denominada "cultura-matriz" da América Central, tinha mais de 3.000 anos de idade. Era um bloco de granito maciço, de cerca de 1,20m de espessura, tendo nos lados, em alto-relevo, quatro homens usando curiosos adereços de cabeça. Todos tinham nas mãos um bebê sadio, gordinho, esperneando em um pavor claramente visível. A parte posterior do altar era destituída de decoração; já na frente, era representada uma figura tendo nos braços, como uma oferenda, o corpo de uma criança morta. Consta dos anais, por exemplo, que Ahuitzod, o oitavo e mais poderoso imperador da dinastia real asteca, "celebrou a inauguração do templo de Huitzilopochtli, em Tenochitlán, mandando formar prisioneiros em quatro fiIas, que marcharam diante de equipes de sacerdotes que trabalharam durante quatro dias seguidos para dar cabo de todos eles. Nessa ocasião, nada menos de 80.000 indivíduos foram sacrificados em um único rito cerimonial". No total, estima-se que o número de vítimas sacrificiais no império asteca como um todo chegou a cerca de 250.000 ao ano, no início do século XVI.
Um mito pré-colombiano recolhido no México por Juan de Torquemada, historiador espanhol do século XVI, por exemplo, afirmava que Quetzalcoatl era "um homem louro e corado, com uma longa barba". Ele condenou os sacrifícios, exceto de flores e frutos, e era conhecido como o deus da paz... De acordo com uma tradição particularmente notável da América Central, esse "sábio instrutor" veio do outro lado do mar em um barco que se movia por si mesmo, sem remos. Todas as lendas diziam inequivocamente que Quetzalcoatl/Kukulkan/Gucumatz/Votan/Izamana chegara à América Central procedente de algum lugar muito distante (do outro lado do "Mar Oriental") e que, em meio a grande tristeza, ele viajara novamente na direção de onde viera. Por que Quetzalcoatl teria ido embora? Qual foi o problema? As lendas mexicanas forneceriam respostas a essas perguntas? Diziam elas que o esclarecido e benevolente governo da Serpente Emplumada foi encerrado por Tezcatilpoca, cujo nome significava "Espelho Esfumaçado" e cujo culto exigia sacrifícios humanos. Parece que uma guerra quase cósmica entre as forças da luz e das trevas ocorreu no México antigo e que estas últimas triunfaram...   Segundo Bernal Dias [historiador espanhol], os nativos davam a essa pedra o nome de 'Tezcat'. Com ela eram feitos também espelhos com finalidades divinatórias, usados por feiticeiros." Representando as forças das trevas e da maldade rapace, Tezcatilpoca, segundo as lendas, esteve envolvido em conflitos com Quetzalcoatl que se prolongaram durante um número imenso de anos. Às vezes, um parecia estar vencendo a luta e, em certas ocasiões, o outro. Finalmente, a guerra cósmica chegou ao fim na ocasião em que o bem foi derrotado pelo mal, com o resultado de que Quetzalcoatl foi expulso de Tollan. Daí em diante, sob a influência do culto aterrador de Tezcatilpoca, os sacrifícios humanos reapareceram na América Central.

Os astecas acreditavam que, para prevenir a destruição do universo, que já ocorrera quatro vezes no passado, os deuses tinham que ser propiciados com uma dieta regular de corações e sangue humano. A mesma crença, com um número notavelmente pequeno de variações, foi compartilhada por todas as grandes civilizações da América Central. Ao contrário dos astecas, porém, alguns dos povos mais antigos calcularam exatamente quando um grande movimento da terra poderia ser esperado, levando ao fim o Quinto Sol.

Ciência herdada dos Nefilins ou dos Vigilantes
Estudemos agora a questão de Vênus, um planeta que teve imensa importância simbólica para todos os povos antigos da América Central. Ao contrário dos gregos antigos, mas da mesma forma que os egípcios antigos, os maias sabiam que Vênus era simultaneamente "a estrela matutina" e a "estrela vespertina". E compreendiam também outras coisas.
A "revolução “sinódica" de um planeta é o período de tempo que ele leva para voltar a qualquer dado ponto no céu - da forma como é visto da terra. Vênus faz uma volta completa do sol a cada 224,7 dias, enquanto a terra segue sua órbita ligeiramente mais longa. O resultado combinado desses dois movimentos é que Vênus surge no mesmo lugar no céu da terra a aproximadamente cada 584 dias. Quem quer que tivesse inventado o sofisticado sistema de calendário herdado pelos maias sabia desse fato e encontrara maneiras engenhosas de integrá-lo em outros ciclos interligados.
Por que os "semi-civilizados" maias precisavam desse tipo de precisão de alta tecnologia?
A Contagem à Longo Prazo pode ser talvez mais bem compreendida como um tipo de máquina de somar celeste, calculando e recalculando constantemente a escala de nossa dívida crescente com o universo. Os cálculos no computador da Contagem à Longo Prazo não eram, claro, feitos com os nossos algarismos. Os maias usavam uma notação própria, que receberam dos olmecas, que a receberam... ninguém sabe de quem. Se houve uma herança, é legítimo perguntar com que finalidade os inventores originais dos circuitos, semelhantes à fiação de computadores, do calendário maia os criaram. Para que o haviam preparado? Vimos que a preocupação obsessiva da sociedade maia, e, na verdade, de todas as culturas antigas da América Central, consistia em calcular - e, se possível, adiar - o fim do mundo. Poderia ser essa a finalidade para a qual o misterioso calendário fora concebido? Poderia ter sido um mecanismo para prever alguma terrível catástrofe cósmica ou geológica?
 


2. O Código da Precessão dos Equinócios

CAPÍTULO 28
A Maquinas do Céu

Embora não espere que um texto sobre mecânica celeste seja tão fácil como uma canção de ninar, o leitor moderno insiste em que tem capacidade de compreender imediatamente "imagens" míticas, porque só pode respeitar como "científicas" fórmulas de aproximação de uma página de extensão, e coisas assim.
Ele não pensa na possibilidade de que conhecimentos igualmente importantes possam ter sido outrora expressos em linguagem do dia-a-dia. Jamais desconfia dessa possibilidade, embora as realizações visíveis de culturas antigas - bastando mencionar as pirâmides e a metalurgia - devam ser razões convincentes para que ele conclua que SERES inteligentes e sérios trabalharam atrás do palco, homens que forçosamente deveriam ter usado linguagem técnica...

A citação acima é do falecido Giorgio de Santillana, professor de história da ciência, do Massachusetts Institute of Technology. Nos capítulos que se seguirão, vamos aprender alguma coisa sobre seus estudos revolucionários de mitologia antiga. Em curtas palavras, porém, a idéia de Santillana era a seguinte: há muito tempo, indivíduos sérios e inteligentes criaram um sistema para esconder a terminologia técnica de uma ciência astronômica adiantada por trás da linguagem comum do mito.
Tinha ele razão? E, se teve, quem foram esses indivíduos sérios e inteligentes - esses astrônomos, esses antigos cientistas - que trabalharam nos bastidores da pré-história?
Comecemos com alguns dados básicos.

O New York Times, do qual foi extraído a notícia acima, não tentou esclarecer mais o assunto. Seus jornalistas provavelmente não se davam conta do quanto se pareciam com Berosus, o historiador, astrônomo e vidente caldeu do século III a.C., que realizou um profundo estudo dos portentos que, acreditava, pressagiariam a destruição final do mundo. Concluiu ele: "Eu, Berosus, intérprete de Bellus, afirmo que toda a terra será condenada às chamas quando os cinco planetas se reunirem em Câncer, tão organizados em fila que uma linha reta poderia passar através de suas esferas".
Uma conjunção de cinco planetas, que se pode esperar exerça profundos efeitos gravitacionais, ocorrerá no dia 5 de maio do ano 2000, quando Netuno, Urano, Vênus, Mercúrio e Marte se alinharão com a Terra no outro lado do sol, iniciando uma espécie de cabo-de-guerra cósmico. Note-se também que astrólogos modernos que inseriram em seus mapas a data maia para o fim do Quinto Sol [o fim do mundo, no ano 2012 de nossa era] calculam que, nessa data, haverá uma configuração muito estranha dos planetas, na verdade, uma configuração tão estranha "que só pode ocorrer uma vez a cada 45.000 anos... À vista dessa configuração extraordinária, bem que podemos esperar um efeito extraordinário".

Maias, incas: Ufos, Ets, Deuses e Seres das Estrelas

Estes dois exemplos de arte rupestre são de Toro Muerto, Peru 12-14,000 anos de idade. Observe os seres têm algum tipo de halo ou cobertura sobre suas cabeças (compare com a Val Camonica foto.
Os Maias acreditavam que os seus antecessores vieram das Pleiades. Os índios maias da América Central sabiam que a Terra era redonda séculos antes dos europeus fazerem esta descoberta. O Popol Vuh afirma que vários deuses, incluindo Hunahpu, Xbalanque, e o grande rei-deus Quetzalcoatl, voltaram para as estrelas após a sua vida ou missão na Terra terminar. 
Civilização Inca de 2000 aC, do Peru  Pré-inca, assim como os Maias afirmavam que os deuses estavam do sistema estelar "pleiades", assim como os sumérios fizeram. Ruínas incas foram encontrados a 13 mil pés, como uma pedra pesando 20.000 toneladas. A lenda fala de naves espaciais que vieram das estrelas.   Foram encontrados juntamente objetos Incas e ornamentos de "platina". O Texto revela que os  incas conheciam que a terra era redonda séculos antes de isto ser conhecido no mundo ocidental.

Deuses mitológicos

Os antigos maias tinham um panteão de divindades complexas a quem adoravam e ofereciam sacrifícios humanos. Governantes se acreditava serem descendentes dos deuses maias e o derramamento de sangue era o sacrifício ideal, seja através de sangria pessoal ou o sacrifício de prisioneiros de sangue real. Tudo muito parecido com a mitologia grega, onde deuses desceram dos céus e copularam com mulheres humanas dando origem aos titans e semi-deuses.

A visão Maia que universo era dividido em vários níveis, acima e abaixo da terra, e posicionado dentro das quatro direções do norte, sul, leste e oeste. Após a morte, acreditavam que a alma ia para o Xibalba (shee bal bah), um lugar onde os deuses de mundo sombrio testavam e enganavam os seus visitantes infelizes.



Como em todos os mitos sobre deuses e deusas Maia, Os Mitos maias discutem as conexões com o seres de outros reinos que vieram à Terra para criar e procriar no planeta.

Muitas pessoas vêem a história do Popol Vuh é a história de deuses extraterrestres que desceram do espaço e fizeram o homem à sua própria imagem e semelhança:

Popol Vuh

Primeira página do manuscrito do Popol Vuh, guardado na Biblioteca Newberry, Chicago, Coleção Ayer
''Dos termos no idioma quiché: Popol - reunião, comunidade, casa comum, junta e Vuh que significa livro. Popol Vuh ou ainda Popol Wuj (modernamente) é um dos poucos livros que restaram da civilização Maia. Trata-se de uma compilação de diversas lendas provenientes de diversos grupos étnicos da atual Guatemala ao sul da península de Iucatã.
Mais que um registro histórico, o livro revela a cultura maia pelo aspecto religioso porquanto as lendas que nos traz referem-se às explicações das origens daquele povo e dos fenômenos naturais que os cercavam...

... Apenas o Popol Vuh e fragmentos de outros dois livros maias se salvaram da destruição. Daí vem a importância fundamental de tal obra, que dá uma minúscula e pálida idéia da vida e costumes desta grande civilização.
É interessante notar que a criação do mundo pelo Popol Vuh relata que o Grande Pai e a Grande Mãe criaram os homens com a intenção de serem adorados por suas criaturas, e o fizeram pelo método da tentativa e erro .
Conta que, primeiro, os deuses criaram a Terra, depois os animais e finalmente os homens. De início os homens foram feitos de barro mas não subsistindo, o Grande Pai os fez de madeira e assim se conservaram, embora tenham se tornado altivos, vaidosos e frívolos levando o Grande Pai a aniquilá-los por meio de um dilúvio.
Depois disto, os deuses fizeram a última tentativa e criaram quatro homens a partir de grãos de milho moídos e a partir de seus corpos criaram quatro mulheres que se multiplicaram e constituíram várias outras famílias.
Prevendo esta multiplicação, os deuses ficaram temerosos que suas criaturas pudessem ter a ideia de suplantá-los em sua sabedoria e diminuíram a inteligência dos oito.
No Popol Vuh também há um relato de dois irmãos gêmeos Hunahpú e Ixbalanqué, vencedores das forças malignas e que nasceram de forma milagrosa já que a mulher que os concebeu era virgem.''
 Origem da informação: Wikipédia

Interessantes detalhes desta narrativa, pois se assemelha  em muitos aspectos aos acontecimentos narrados no livro de Gênesis:

Perceberam que eles tinham feito um concorrente que foi tão sábio quanto os próprios Deuses(Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal. Gênesis 3:5). Então, resolveram destruí-lo em um dilúvio(E aconteceu que passados sete dias, vieram sobre a terra as águas do dilúvio. Gênesis 7:10), e começou a recriaram o homem dos dias de hoje. O homem moderno vive vidas mais curtas(Então disse o SENHOR: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos. Gênesis 6:3).
Existe algum tipo de objeto deixado de o ser principal. Possivelmente um OVNI?

Dentro de sua cultura têm lendas de visitas  dos deuses do espaço exterior. Nos últimos mil anos o ser conhecido como ''Quatzequatl,a Grande Serpente Emplumada'' era um Deus que trouxe o ensinamento de paz a esta parte do mundo e apareceu como um Deus branco, com uma barba e olhos claros. Os desenhos dele são quase idênticas aos desenhos do ser conhecido como Ea ou Enki nos ensinamentos antigos sumérios.
A descrição do deus maia Quatzequatl, muito parecida com o ''ghezuis'' dos quadros pintados...
deus maia thothtoldeuses maias
Na verdade, muitos dos deuses maias  pareciam com as imagens que vemos dos reptilianos.Na figura acima um deus de grande estatura com forma réptil visitando o rei maia, na verdade é um gigante nefilim(Mistura de dna humano, animal e celestial)



Quatzequatel: O Deus alado

Deus maia Thoth e Quetzacotal eram a mesma pessoa, Thoth foi identificado como Atlantis, Egito, Suméria, e mais tarde foi identificado como Meso América e no Peru como Quetzacoatal.














Sua pirâmide era a Pirâmide do Sol, em Teotihuacan 

   dom pirâmide





Chac

deus maia Chac



Deus maia Chac era o deus da chuva. Ele era um deus benevolente para os maias, que muitas vezes procuravam a sua ajuda para suas colheitas. Chac foi associado com a criação ea vida. Chac também foi considerada para ser dividido em quatro entidades iguais. Cada divisão representa o Norte, Sul, Leste e Oeste. Chac também foi aparentemente associado com o deus do vento, Kukulcan. Alguns debate persistem sobre se  Kukulcan era ou não apenas um variação de Chac.



Outro Deus Sol - Kinich Ahau

deus Kinich Ahau



Kinich Ahau era o deus sol. Ele era o deus patrono da cidade de Itzamal . Supostamente, ele visitava a cidade ao meio-dia. Ele descia em forma de uma arara e consumia as ofertas preparadas. Kinich Ahau é geralmente mostrado com jaguar-como características (ex. dentes afiados). Kinich Ahau também usa o símbolo do Kin, o dia maia. Kinich Ahau era também conhecido pelo nome Xoc Ah Kin, que foi associado com poesia e música.



Yumil Kaxob

Yumil Kaxob



O deus do milho é representante do grão maduro que foi a base da agricultura maia. Em certas áreas da América Central, como Yucatan, o deus do milho é combinado com o deus da flora, Yumil Kaxob. O deus do milho é, principalmente, mostrado com um cocar de milho e uma faixa curva em seu rosto. Ele também é perceptível a partir de outros deuses throug sua juventude. Apesar desta juventude, o deus do milho era impotente por si mesmo. Suas fortunas e infortúnios foram decididos pelo controle de chuva e seca. O deus da chuva iria protegê-lo. No entanto, ele sofreu quando o deus da morte exercida seca e fome.





Yum Cimil

Yum Cimil


O deus da morte foi chamado Yum Cimil. Ele também poderia ser chamado Ah Puch, o deus do submundo. Seu corpo era predominantemente esquelético. Seus adornos são igualmente feitos de ossos. Yum Cimil também foi representado com um corpo coberto com manchas pretas (em decomposição). Ele também usa um colar com soquetes sem olhos. Esta ornamentação era o símbolo típico para o submundo.



Ixtab

deuses maias - Ixtab

A deusa do suicídio foi chamado Ixtab. Ela é sempre representada com uma corda no pescoço. Os maias acreditavam que suicídios os levariam para o céu. Assim, era muito comum os suicídios a acontecerem por causa da depressão ou até mesmo por algo trivial.





Kukulcan

Kukulcan

O deus do vento também era conhecido como o deus-serpente emplumada Kukulcan.


Os maias antigos usavam as portas e janelas de seus prédios para avistamentos astronômicos, especialmente para o planeta Vênus.

Em Uxmal, todos os edifícios estão alinhados na mesma direção. Surpreendentemente, os maias sabiam os movimentos de Vênus com uma precisão muito acurada.

Vênus, a estrela da manhã, era o planeta patrono da guerra. Muitas ofertas foram feitas para Venus e ao sol.Sabe-se de um historiador que as pessoas fechassem  suas chaminés, para que nenhuma luz de Vênus pudessem entrar em suas casas e causar danos.



Ix Chel

Ix Chel

Ix Chel,a "mulher do arco-íris", era a deusa da Lua na mitologia maia. O povo maia viveu por volta de 250 dC no que é hoje a Guatemala e Yucatán, no México. Maias associavam acontecimentos humanos com as fases da lua.

Ix Chel foi retratado como uma velha vestida com uma saia com ossos cruzados, e ela tinha uma serpente na mão. Ela tinha uma serpente do céu como ajudante, a quem eles acreditavam ter todas as águas dos céus em sua barriga. Ela é freqüentemente mostrada carregando um jarro grande cheio de água, que ela o derruba para enviar tempestades e inundações  poderosas para a Terra.

Seu marido era o benevolente deus da lua,  Itzamna. Ix Chel era adorada como o protetora dos tecelões e das mulheres no parto.



Ah Kinchil: o deus sol.

Ah Puch: o deus da Morte.

Ahau Chamahez: um dos dois deuses da Medicina.

Ahmakiq: um deus da agricultura, que bloqueiava o vento quando ele ameaça destruir as culturas.

Akhushtal: a deusa do parto.

Bacabs:
Bacab é o genérico Yucatec nome para cada um de quatro divindades maias do interior da terra e seus depósitos de água.  O Bacabs também são referidos como "Pauahtuns '.
 O Bacabs "eram quatro irmãos a quem Deus colocou, quando criou o mundo, nos quatro pontos cardeais, mantendo o céu, para que ele não pudesse cair. [...] Eles fugiram quando o mundo foi destruído pelo dilúvio. "Seus nomes foram Hobnil, Cantzicnal, Saccimi e Hosanek. 
De acordo com o Livro de Chilam Balam de Chumayel ", então o céu cairia, cairia para baixo, ele iria cair sobre a terra, quando os quatro deuses, os quatro Bacabs, foram criados, o que provocou a destruição da mundo ".

 (O Bacabs também pode ter sido quatro manifestações de uma única divindade .) Os quatro irmãos foram provavelmente os descendentes de Itzamn, a divindade suprema, e Ixchel, a deusa da tecelagem, parto e dos medicamentos . Cada Bacab presidia um ano de um ciclo de quatro anos. O Maias esperavam o ano Muluc por ser o maior ano, porque o deus que presidia  esses anos foi o maior dos deuses Bacab. As quatro direções e suas cores correspondentes (leste, vermelho; norte, branco; oeste, negros, sul, amarelo) desempenhou um papel importante nos sistemas religiosos e do calendário maia.

Deus maia da chuva, especialmente importante na região de Yucatán, no México, onde ele era retratado em tempos clássicos com dentes salientes, olhos grandes e redondos, e um nariz tromba. No pós-clássico , nas ruínas maias e toltecas, figuras eram conhecido como o Mool , após a conquista espanhola, o Chacs foram associados com santos cristãos .

Cit Bolon Tum: um deus da Medicina.

Cizin (Kisin): deus Maia do terremoto e deus da morte, governador da terra subterrânea dos mortos. Ele vive sob a terra em um purgatório, onde todas as almas, exceto os de soldados mortos em batalha e mulheres que morreram no parto passavam algum tempo. Suicídas estão condenadas ao seu reino para a sempre. Ele pode eventualmente, ter sido um aspecto de uma divindade malévola do submundo que se manifestou sob vários nomes e disfarces (por exemplo, Ah Puch, Xibalba, e Yum Cimil). Em manuscritos ou, o deus da morte é freqüentemente representado com o deus da guerra em cenas de sacrifícios humano. Um aspecto da natureza dualista da religião maia é simbolicamente retratado na códices existentes, que mostram Cizin desenraizando ou destruindo as árvores plantadas por Chac, o deus da chuva. Cizin é muitas vezes representado na cerâmica e ilustrado na códices na forma de um esqueleto dançando, segurando um cigarro. Ele também é conhecido por seu colar da  morte, a característica mais importante das quais consiste de olhos desencarnados penduradas por cordas . Após a conquista espanhola, Cizin fundiu-se com o diabo cristão.

Ekahau: o deus dos viajantes e comerciantes.


Itzamn: " Iguana"; divindade pré-colombiana, uma das principais dos Maias. O governante do céu, dia e a noite, ele apareceu freqüentemente com quatro deuses chamados Itzamns. Como algumas das outras divindades mesoamericanas, os Itzamn foram associados com os pontos cardeais da bússola e assuas cores (leste, vermelho; norte, branco, ocidental, preto, e sul, amarelo). Itzamn às vezes era identificada com a divindade remoto criador Hunab Ku e ocasionalmente com Kinich Ahau, o deus-sol. A deusa da lua Ixchel, padroeira do artesanato feminino, foi possivelmente uma manifestação feminina do deus. Itzamn também foi um herói da cultura que deu a humanidade a escrita e o calendário e foi patrono da medicina.
Nazca deus?

Ix Chel (Ixchel): a deusa da lua.

Ixtab: a deusa dos Enforcados. Ela recebe suas almas para o paraíso.

Kan-u-Uayeyab: o deus que guardava as cidades.

Kinich Kakmo: o deus Sol simbolizado pela Arara.

Kisin: procurem por ''Cizin''

Kukulcan: o deus do vento, que é reconhecido em relevos Classicos, é a Serpente Emplumada, conhecido nos Maias como Kukulcan (e para os toltecas e astecas como Quetzalcoatl), (primeiro a ser chamado de Deus por arqueólogos ),  ele é muitas vezes tido como uma espécie de cetro nas mãos de governantes.

Mitnal: Mitnal era o inferno do submundo onde os ímpios eram torturados.

Nacom: Nacom era o deus da Guerra.

Tzultacaj (Tzuultaq'ah): Para os índios maias da Guatemala central, conhecido como Kekch, este era o deus das montanhas e vales.

Yum Kaax: o deus do milho.


Cabeça mumificada gigante de um Rei Inca. NOTE a sombra do indivíduo sobre o direito da caixa de vidro em perspectiva. Foto proibida e teve de ser adquirida discretamente. Porque será que os donos do mundo não querem que você saiba sobre os gigantes?
Todas fotos © cuidados de Glenn Kimball.



Começando com os sumérios , a primeira grande cultura de 6.000 anos atrás que gerou os Babilonios, persas e assírios, através de influencias subseqüentes e de "Intelligente civilizações avançadas" e "não-avançadas" nas culturas indígenas, incluindo a índios norte-americanos da América do Norte, Maia e Inca impérios da América do Sul, os aborígenes da Austrália, antigos chineses e hindus, registrados em textos escritos do Extremo Oriente, egípcios , do Oriente Médio, Dogons da África, e os gregos e romanos e nos Deuses da "mitologia", cada cultura acreditava que os seres celestiais (ou deuses) tinha criado o homem. (Em sua própria semelhança, não menos). Alguma coincidência com estes "mitos" na verdade , eram seres reais, hein?


Ilustração descreve um avistamento que ocorreu em 9:45, na noite de 18 de agosto de 1783, quando quatro testemunhas na esplanada do Castelo de Windsor observaram um objeto luminoso no céu dos Concelhos Início da Inglaterra. O avistamento foi gravado no ano seguinte, no Philosophical Transactions of the Royal Society. Segundo este relatório, as testemunhas observaram uma nuvem oblongo se movendo mais ou menos paralelo ao horizonte. Sob esta nuvem pode ser visto um objeto luminoso que logo se tornou esférica, brilhantemente iluminado, que chegou a um impasse; Esta esfera estranha à primeira vista parecia ser azul-pálido, mas então sua luminosidade aumentou e logo partiu novamente para o leste. Então o objeto mudou de direção e mudou-se paralelo ao horizonte antes de desaparecer ao sul-leste, a luz que deu o fora foi prodigiosa, que iluminou-nos tudo no chão;. A imagem foi capturada nesta por Thomas Sandby (um dos fundadores do Royal Academy) e seu irmão Paul, de quem presenciou o evento. Não era até o século 19 que as pessoas interpretar corretamente o significado do registro fóssil e se tornar ciente do fato de que os dinossauros realmente habitaram a Terra milhões de anos no passado. Secretas da CIA registros obtidos através do Freedom of Information Act revelam que os analistas da CIA foram capazes de determinar a partir de pinturas rupestres Neanderthal que a presença do fenômeno OVNI remonta pelo menos 50 mil anos na história humana. Parece altamente improvável que o registro mais antigo de manifestações UFO observado em petroglifos Neanderthal representa o início de aparecimento do fenômeno na Terra. UFOs <br> pode ser interpretado como um
Se os seres que desceram do céu, que visitaram nossos antepassados  não fossem  entidades  reais , certamente não teriam sido incluídos nas lendas das civilizações em todo o mundo e, com certeza, os visitantes estranhos não seriam encontrados nas lendas e religiões de todos os cantos da terra, seja anjos bíblicos ou  guerreiros dos céus da Índia antiga. Esses "deuses" tinham poderes mágicos, aparentemente, uma ''sabedoria inigualável'' e trouxeram ''presentes especiais'' e ''experiências'' para aqueles com os quais entraram em contato.
Esta é uma tapeçaria chamado o triunfo de Verão e foi criado em Bruges em 1538. Ele agora reside no Museu Nacional Bayerisches. Você pode ver claramente objetos em forma de disco várias no topo da tapeçaria. Alguém especulou que são ilhas, se assim for, então estas ilhas estão flutuando no céu!
   
   
 Os os escritos originais da Mesopotâmia registram a história. Esta história foi mais tarde registrada nos escritos, na arte o nos totens megalílicos  formando uma base dos muitos cultos religiosos. Nos estudos dos dias de hoje são rotulados de "mitologia".

Esta imagem é pelo artista flamengo Aert De Gelder e é intitulado O Batismo de Cristo Foi pintado em 1710 e paira no Museu Fitzwilliam, em Cambridge. Um objeto em forma de disco está brilhando feixes de luz para baixo sobre João Batista e Jesus.
Em todo o planeta, você encontra as lendas e contos antigos de "deuses" de outro mundo que tiveram relações sexuais com a humanidade para criar uma rede de descendentes híbridos. Alegação de que eles realmente criaram ou modificaram a humanidade por misturarem seus genes com o de animais e humanos.  O Antigo Testamento, por exemplo, fala sobre os "Filhos de Deus" que cruzaram com as filhas dos homens para criar a raça híbrida, o Nefilim. Antes de ter sido traduzido para o Inglês, aquela passagem, dizia "os filhos dos deuses", no plural. Mas os relatos bíblicos são apenas um dos muitos que descrevem o mesmo tema.


Os tabletes de argila da suméria, achados no que hoje chamamos de Iraque, na metade do século 19, contam uma história similar. Estima-se que eles foram enterrados cerca de 2.000 aC, mas as histórias que elas contam voltam muito antes disso.  falam de um acontecimento bizarro e ao mesmo tempo preucupante em de uma raça de "deuses" de outro mundo que trouxeram o conhecimento avançado para o planeta e copularam com humanos para criarem linhagens híbridas. Esses "deuses" são chamados de os "Anunnaki"(Palavra espantosa e muito semelhante com os  GIGANTES BÍBLICOS ANAKINS ), que aparentemente se  traduz como "aqueles desceram do céu à terra ."



''Os relatos antigos dizem-nos que estes descendentes híbridos, a fusão dos genes de humanos e animais selecionados  com os dos "deuses", foram colocados nas posições de poder real, especialmente no antigo Oriente Próximo e Médio Oriente, em culturas avançadas como a Suméria , Babilônia e Egito. Quais foram as posições de poder? Foram os faraós, reis, imperdores e governantes daqueles dias... Agora, 20 anos atrás, eu teria discordado disto. Mas agora que temos mapeado o gnoma humano, nós realmente temos a mesma tecnologia que poderia realizar examente o mesmo cenário! Podemos agora fundir genes e fazer inúmeras espécies novas, e fazer clones de qualquer coisa com uma fila de DNA. Não parece mais tão improvável, não concorda? Tudo ligado, e explicado ! E nada a acrescentar é necessário! ''

Testemunhos na história em outros locais?

A primeira imagem mostra um afresco intitulado A crucificação e foi pintado em 1350. Dois objetos com figuras dentro pode ser visto no canto superior direito esquerdo e superior do afresco. Dois alargamentos desses objetos são mostrados acima. O afresco está localizado acima do altar no Mosteiro Decani Visoki em Kosovo, Iugoslávia


Ao longo da história tem havido muitos mitos e lendas comuns das máquinas voadoras ou dispositivos, os tapetes voadores da antiga Arábia, as rodas ou discosvistos pelo profeta Ezequiel,  as estranhas carruagens de fogo do Profeta Elias, ou Vimanas, da antiga Índia e China.



Entre os textos mais famosos da antiguidade que mencionam carros voadores (ou Vimanas) são o Ramayana e Mahabharata(O Maabárata conhecido também como Mahabarata ou Mahabharata (devanágari: महाभारत, transl. Mahābhārata), é um dos dois maiores épicos clássicos da Índia, juntamente com o Ramáiana. ). Outros menos textos conhecidos incluem o Sutra Samarangana-dhara, o Yuktikalpataru de Bhoja (século 12), o Mayamatam, o Rig Veda, o Yajurveda eo Ataharvaveda.
1660 - A ilustração descreve um avistamento por dois navios holandeses no Mar do Norte de um objeto movendo-se lentamente no céu. Parecia ser feita por dois discos de tamanhos diferentes. A fonte para esta conta é um dos livros intitulados: Theatrum Orbis Terrarum pelo almirante Blaeu. Estes livros eram compilações de artigos de diferentes autores e consistiu em relatos detalhados de compromissos de longo no mar, informações cartografia etc

Segundo o historiador indiano Ramachandra Dikshitar que escreveu o texto clássicos sobre a guerra indiana antiga, outros textos que mencionam veículos aéreos e as viagens são os Brahmanas Satapathya, o Rig Veda Samhita, o Harivamsa; Purana Makandeya; Purana Vishnu, o Vikramaurvasiya; o Uttararamacarita, o Harsacarita; o texto Tamil Jivakocintamani; e o Samaranganasutradhara. No Manusa, os detalhes mais elaborados da construção de máquinas voadoras são descritos. O Sutradhara Samarangana diz que eles foram feitos de luz material,muito forte, estrutura bem feita. Ferro, cobre, mercúrio e chumbo foram usados ​​em sua construção. Eles poderiam voar a grandes distâncias e foram impulsionadas através do ar por motores.

O texto Samarangana Sutradhara dedica 230 estrofes para a construção dessas máquinas, e seus uso na paz e ou na guerra: forte e durável,  o corpo deveria ser feita como um grande pássaro voando, de material leve.

Essa figura estranha adequado foi encontrado em Kiev e sua data de cerca de 4.000 aC.
Da mesma forma, utilizando os processos prescritos pode-se construir uma vimana tão grande como um templo voador de Deus. Quatro recipientes de mercúrio forte deveriam ser construídos sobre a estrutura interior. Quando estes foram aquecidos pelo fogo controlado a partir de recipientes de ferro, o trovão vimana desenvolve potência através do mercúrio. E ao mesmo tempo torna-se uma pérola no céu.


Além disso, se este motor de ferro com juntas adequadamente soldadas serão preenchidos com mercúrio, e o fogo ser conduzida para a parte superior que se desenvolve o poder de explosão como o rugido de um leão. O Ramayana descreve uma vimana como um duplo deck, aeronaves (cilíndricas) circulares com uma cúpula. Voam com a velocidade do vento e produziam um som melodioso (um zumbido?). Antigos textos indianos em Vimanas são tão numerosos que eu teria vários livros e artigos no blog apocalink só para relacionar o que eles têm a dizer. Os antigos índios escreveram manuais de vôo inteirosm, sobre o controle de vários tipos de Vimanas, dos quais havia basicamente quatro: o Vimana Shakuna, o Vimana Sundara, o Vimana rukma eo Vimana Tripura.

Estas imagens de dois data cruzados a partir de um manuscrito do século 12 Laurissenses Annales (volumes / livros sobre eventos históricos e religião) e se referem a um avistamento de OVNI no ano 776, durante o cerco sobre Sigiburg castelo, na França. Os saxões sitiada e cercaram o povo francês. Ambos estavam brigando, quando de repente um grupo de discos (flamejante escudos) apareceu pairando sobre a parte superior da igreja. Pareceu-saxões que os franceses eram protegidos por esses objetos e os saxões fugiram
O Sastra Vaimanika é talvez o mais importante texto antigo sobre Vimanas conhecidas. Foi relatada pela primeira vez ter sido encontrado em 1918 no Royal Baroda sânscrito Library. Baroda está localizado ao norte de Bombaim e sul de Ahmedabad .  Não foi relatada nenhuma cópia anterior, no entanto, Swami Dayananda Saraswati em seu tratado abrangente sobre a Rig Veda datado 1875 faz referências a Sastra Vaimanaik,  em seu comentário, bem como outros manuscritos sobre Vimanas.



Diz o Sastra Vaimanika sobre si mesmo: Neste livro são descritos em oito capítulos  cativantes, as artes da fabricação de diversos tipos de Aviões de viagem tranqüila e confortável no céu, como uma força unificadora para o Universo, contributiva para o bem-estar da humanidade.

Esta é uma ilustração de um livro No Ume Chiri (Pó de Apricot), publicado em 1803. Um navio estrangeiro e tripulação assistiu ao Haratonohama (Haratono Seashore) em Hitachi no Kuni (Ibaragi), Japão esse objeto estranho. De acordo com a explicação no desenho, o outershell era feito de ferro e vidro, e as letras estranhas mostradas neste desenho foram vistos dentro do navio.
Que pode ir por sua própria força, como um pássaro, em terra, ou água ou ar, é chamado de Vimana ". O que pode viajar no céu, de lugar para lugar, terra em terra, ou globo para globo, é chamado pelos cientistas em Aeronáutica como Vimana . O antigo manuscrito alega:

  • O segredo da construindo aviões, que não vão quebrar, o que não podem ser cortados, não irão pegar fogo, e não podem ser destruídos.
  • O segredo de fazer planar imóveis.
  • O segredo de torná-los invisíveis.
  • O segredo de ouvir conversas e outros sons em aviões inimigos.
  • O segredo de receber fotografias do interior de aviões inimigos.
  • O segredo de verificar a direção da abordagem aviões inimigos.
  • O segredo de fazer pessoas em aviões inimigos perderem a consciência.
  • O segredo de destruir aviões inimigos.

A Índia de 15.000 anos atrás é conhecido como o Império Rama, uma terra que foi contemporâneo de Atlântida. A enorme riqueza de textos ainda existente na Índia, que falam de civilização extremamente avançada. Terríveis guerras e subseqüentes mudanças na Terra destruíram estas civilizações, deixando apenas bolsões isolados da civilização. As guerras devastadores do Ramayana e particularmente do Mahabharata é dito ter sido o ponto culminante das guerras terríveis do passado.

A pintura é por Carlo Crivelli (1430-1495) e é chamado de A Anunciação (1486) e trava na National Gallery, em Londres. Um objeto em forma de disco está brilhando um feixe de lápis de luz para baixo na coroa da cabeça de Maria. A Blow up do objeto é ao lado da pintura.


O legado da Atlântida, o antigo Império Rama e Vimanas nos alcança até hoje. A onda do dirigível misterioso da década de 1890 pode muito bem ter sido um avistamento de embarcações antigas, ainda em funcionamento, serpenteando lentamente ao longo do mundo , em um pré-vôo do final do século 19, na América.

Nos anos finais do século passado, um número de avistamentos incomuns de dirigíveis foram feitos ,  que podem muito bem ter sido de Vimana . Em 1873 em Bonham, Texas, os trabalhadores em um campo de algodão, de repente viram um objeto brilhante, de prata que veio estrias do céu para eles. Aterrorizados, fugiram, enquanto a grande serpente prateada, como algumas pessoas descreveram, virou e mergulhou-los novamente. Um monte de cavalos fugiram, o motorista foi jogado sob as rodas do vagão e morreu. Algumas horas mais tarde no mesmo dia em Fort Riley, Kansas, uma aeronave semelhante desceu dos céus em um desfile da cavalaria e deixou os cavalos aterrorizados a ponto o exercício de cavalaria terminou em tumulto.

AS CONTRUÇÕES PIRAMIDAIS ,UM FENÔMENO DE MAGNITUDE GLOBAL

Mas como pode ter ocorrido?

Agora, decifrem isto. No blog(nA SÉRIE ''O RETORNO DOS NEPHILINS'' examinamos trechos da primeira e da segunda Epístolas de Pedro e um de Judas 6 re­lativamente aos anjos e seres sobrenaturais que estão enclausurados nu­ma sombria prisão chamada Tártaro, aguardando o julgamento futuro. Lemos que o Messias ressuscitado, em seu novo corpo espiritual "proclamou seu triunfo" perante esses homens satânicos. A primeira Epísto­la de Pedro 3:19 identifica esses seres sobrenaturais ou anjos como aqueles que pecaram na época de Noé. Em outras palavras, Pedro afirma especificamente que o Messias apareceu, na prisão, para esses seres so­brenaturais, os Nephilim, que haviam causado todo o caos anteriormen­te ao Dilúvio. Agora vejamos o quebra-cabeça. Se os seres sobrenaturais que realizaram a primeira investida na Terra estão presos no Tártaro, on­de estarão os anjos caídos que produziram a segunda investida algum tempo depois do Dilúvio?
Um estudo cuidadoso dos três trechos sucintos mostra que os anjos que cometeram pecado estão nessa prisão. Mas os textos em questão só identificam especificamente o Messias visitando os caídos que foram res­ponsáveis por toda a violência e maldade na Terra antes do Dilúvio. De maneira que outra pergunta se faz necessária: onde estão os Nephilim que se materializaram depois do Dilúvio e começaram a multiplicar-se e a en­cher a terra de Canaã durante vários séculos, do tempo de Abraão, c. 1.912 a.C. até a época de Davi, quase 1.000 anos mais tarde?
Os "filhos de Deus" que produziram a primeira investida antes do Dilúvio poderiam ser os mesmos que produziram a segunda algum tem­po depois. Isso parece tanto ilógico quanto implausível, uma vez que os espíritos que estavam ativos antes do Dilúvio foram lançados à prisão por causa dos seus pecados. Mas se um segundo grupo desses seres, uma vez tendo saído de sua morada espiritual e tendo-se materializado no do­mínio dos sentidos não consegue voltar, então isso deve significar, se nos­sas deduções estiverem corretas, que esse mesmo grupo de Nephilim ainda está perambulando ou está oculto em algum lugar do nosso mun­do atualmente!
Devo enfatizar novamente que isso é mera conjectura de minha par­te. Mas poderia explicar por que algumas das pirâmides em terras dis­tantes parecem relativamente recentes comparadas às pirâmides do antigo Egito e outras construções e templos que ocupam a região em torno do Mar Mediterrâneo. As pirâmides do México e da Guatemala e os templos de Angkor Wat, se dermos crédito aos nossos historiadores, foram todos construídos depois do nascimento de Cristo. Na verdade, dizem-nos que algumas dessas construções (Angkor Wat) podem ter sido habitadas por seus construtores ainda há algumas centenas de anos.
Estariam os Nephilim, responsáveis pela investida contra os huma­nos que precipitou o Dilúvio, agora em fuga? Será por isso que o rastro deles começa em Canaã e no Oriente Médio e depois se espalha para ter­ras distantes como Peru, Bolívia, Guatemala, México e depois Camboja?

Volte em breve! Nós estaremos adicionando mais capítulos e dados a esta série já consagrada pelo público, incluindo fotos incríveis de petroglifos e petrograficos de todo o planeta que certamente vão incendiar sua mente.

10 comentários:

  1. olá meu irmão !

    A Paz !

    O q vou escrever aqui num te nada haver com o assunto acima em questão, é a respeito da agua fluoretada.

    Percebo q em muitos países ela não é mais usada, não teria como criarmos um abaixo assinado contra a agua fluoretada aqui no Brasil também ?

    No aguardo,

    JESUS abençoe !

    ResponderExcluir
  2. Fhausi Boaventura, vc dicaria algum site sobre o assunto?

    ResponderExcluir
  3. Deve ser uma obra prima os céus se os anjos caídos tentaram imitar a casa de Deus, e saiu as piramides que são quase indestrutíveis imagina o reino dos céus...
    Mas uma vez eu vi uma reportagem que as piramides não usam cola ou cimento ou qualquer liga cada bloco foi feito para ser encaixado para não haver brechas sendo assim os anjos caídos se esforçaram para uma mera replica...
    Quão Glorioso e Misericordioso é Deus com tamanha obra fico as vezes imaginando a sua criação...

    ResponderExcluir
  4. petição pública !

    (Clinton: DEUS é maravilhoso, devemos tudo a ele!, JESUS te abençoe irmão !)

    ResponderExcluir
  5. poxa, acho q não entendi a pergunta.

    Corrigindo:

    http://supremaverdade.jimdo.com/%C3%A1gua-fluoretada/

    neste site fala a respeito, e a propósito, é um ótimo site !

    Confere ai

    ResponderExcluir
  6. Para bens, estou fascinada pelos conhecimentos aqui expostos, poder dispor da investigação dos mais entendidos, é maravilhoso.
    Muito obrigada

    ResponderExcluir
  7. Roger J. Morneau (ex-satanista) em seu livro "Viagem ao Sobrenatural", escrito depois de sua conversão a Jesus, relata que para destruir completamente a fé na Palavra de Deus (Bíblia) satanas preparou 3 grandes planos, onde o maior deles seria o aparecimentos de seu demonios como ETs. Nessa grande mentira os demonios irão dizer que estiveram na terra na antiguidade e alterarm o DNA de uma das especies de macacos daquela época e geraram o HOMEM como ele é hoje. E que não existe o Deus da Biblia, que eles são nosso criador. E provarão a sua teoria cientificamente, a qual explicará uma certa falha na Teoria da Evolução de Darwin. Com esse impacto dessa mentira 'científica' a humanidade ficará desolada e amaldiçoará a Biblia!
    A partir daí os outros planos serão levados a cabo.
    Tudo realmente converge para os Nefilins e mutações geneticas para formação do exercito do anticrito.

    Maranata Rei dos reis, Jesus de Nazaré
    Paz aos filhos de Desu por Jesus, o Salvador

    ResponderExcluir
  8. Lembrando que a Teoria da Evolução é parte do engano de satanas para os que não aceitam a Palavra de Deus.

    ResponderExcluir
  9. a quela caveira de cristal impossivel de esculpir tão perfeitamente eles tinha uma compulsão por ouro tipo iqual ao povo nomade citas da sarmatia mas esses amerindios sabiam artes de astrologia e cultivos e construção fora de serie eram muito dedicados mais muito sacrificados tinha um culto por sangue porém, chegada do homem branco espanhol matou eles de doença sobreviveu apenas 1\3 deles ate a imunidade natural vencer a doença.
    os que sobreviveram foram catequisados pelos padres jesuítas e depois escravisados para trabalha ate a MORTE entretanto as criança de peito sobreviveram e adicionaram um pouco da cultura com as mães nativas hoje eles ainda existem mais não possuem mais cultura mais o pouco que sobrou foi suficiente para entender seus calendarios e manuscritos mas a maioria já não esta mais preservado e desapareceu os criolos espanhões maridos dessas mãe eram maus e destruiam; sua cultura porem suas ruinas ainda persiste e nós assombra provavél que eles adotará seitas macabras pelos sobreviventes da ilha de pasqual que eram cabeçudos possivéis sociedade de nepalins e um comclave alienigena mason.

    ResponderExcluir

Por favor, note que os comentários são moderados e que todos
os spams, insultos, proselitismo e discursos de ódio serão removidos.