quarta-feira, 27 de julho de 2011

Wikileaks: Morte garantida(Cuidado IMAGENS FORTES)

Em 6 de julho de 2010, Private Bradley Manning, um analista da inteligência Americana,  de 22 anos ,que  estava com o Exército dos Estados Unidos em Bagdá, foi acusado de divulgar estes vídeos (depois de supostamente falando com um jornalista ). O denunciante por trás dos Papéis do Pentágono, Daniel Ellsberg, chamou o Sr. Manning de "herói". Ele está preso no Kuwait. A tripulação Apache e aqueles por trás do acobertamento do que foi  retratado nos vídeos ainda não foram cobrados acerca do assunto. Para ajudar Manning , consulte bradleymanning.org.

Em 05 de abril de 2010 , o WikiLeaks lançou um vídeo mostrando militares do EUA  assassinando de forma indiscriminada de mais de uma dúzia de pessoas no subúrbio de Nova Bagdá, Iraque - incluindo dois funcionários da Reuters.
A Reuters vem tentando obter o vídeo através do Freedom of Information Act, sem sucesso, desde a época do ataque. O vídeo, filmado de um helicóptero Apache mira, e mostra claramente o assassinato não provocado de um funcionário da Reuters feridos. Duas crianças  também foram seriamente feridas.






Os militares não revelaram como a equipe da Reuters foi morta, e afirmaram que eles não sabiam como as crianças ficaram feridas.

Depois de demandas pela Reuters, o incidente foi investigado e os militares dos EUA concluiu que as ações dos soldados estavam de acordo com a lei de conflitos armados e as regras de engajamento americanas.

Conseqüentemente, WikiLeaks mostrou ''as Regras de Engajamento'' classificados para 2006, 2007 e 2008, revelando essas regras antes, durante e após os assassinatos.

WikiLeaks lançou o vídeo original de 38 minutos e uma versão mais curta com uma análise inicial. Legendas foram adicionadas a ambas as versões a partir de transmissões de rádio.

WikiLeaks obteve estes vídeos, bem como documentos comprovativos de denunciantes militares. WikiLeaks sempre verifica a autenticidade das informações que recebe. Analisamos as informações sobre o incidente entre uma variedade de material .

WikiLeaks quer garantir que todas as informações vazadas recebem a atenção que merecem. Neste caso particular, algumas das pessoas mortas eram jornalistas que estavam simplesmente fazendo o seu trabalho: colocando suas vidas em risco, a fim de informar sobre a guerra. O Iraque é um lugar muito perigoso para os jornalistas: de 2003 - 2009, 139 jornalistas foram mortos enquanto realizavam seu trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, note que os comentários são moderados e que todos
os spams, insultos, proselitismo e discursos de ódio serão removidos.