sexta-feira, 8 de julho de 2011

O Mistério Final do Grande Selo Revelado: A origem dos deuses da nova ordem mundial , um plágio da Bíblia - Parte 9


''No E em Delphoi, aqui o sol representa Deus  ... Plutarco associa este deus supremo com o Apolon da religião, enquanto que no ensaio religiosos  sobre Isis , ele é associado com Osíris. Ambos Apolo (n) e Osiris são o deus sol [que] ... acabam por ser (e não para nossa surpresa), o Apolo de Delfos (A-polon) ", (Frederick E. Brank, Reacendendo as almas:.)

Estudos de Plutarco, em literatura grega , religião e filosofia, e ao fundo , o Novo Testamento. "O olho Solar [no Grande Selo dos Estados Unidos] chama-nos  a  a atenção  ... Apolo ... o olho sagrado e misterioso do Altíssimo dos deuses .... Assim, é tido na mais alta estimação por todos os maçons do Arco Real.
"Charles-AL Totten, (Nossa herança no Grande Selo de Manassés, Estados Unidos da América)

"Este é ele. . . que estabelecerá de novamente  a Era de Ouro, em meio aos campos onde Saturno, uma vez reinou ".-
(Virgílio, Eneida 6,790)



Estudiosos como Michael Heiser, Ph.D. na Bíblia Hebraica e Línguas semitas fornecem detalhes sobre o estudo do Divino Conselho, o panteão de seres divinos ou anjos que atualmente administram os assuntos do céu e da terra. Especialistas neste campo de estudos bíblicos em geral concordam que, começando na Torre de Babel, o mundo e seus habitantes foram deserdados pelo Deus soberano de Israel e colocado sob a autoridade  menor seres divinos que se tornaram corruptos e desleais a Deus em sua administração daquelas nações (Salmo 82). Segundo a teoria, esses seres tornaram-se rapidamente adorados na terra como deuses de  Babel, e estes anjos, ao contrário de seus admiradores humanos, continuarão na terra até ao fim dos tempos, cada um "espírito" por trás das atribuições pagãs era conhecida em tempos diversos na história e para várias culturas por nomes diferentes.Isto certamente concorda com a definição bíblica de idolatria como a adoração de anjos caídos, e significa a caracterização dos espíritos como "Jupiter",  "Osiris" e "Isis", pode ser corretamente entendida como títulos atribuídos a sobrenaturalismo distinto e individual. O espírito por trás Apolo foi, assim, uma personalidade real; Osiris realmente viveu, e ainda o vive. Osiris ainda poderia ter sido a mesma entidade conhecida em outros lugares como Apolo ou Dionísio. Numerosos historiadores gregos, incluindo Plutarco, Heródoto e Diodoro Sículo, observaram o  Osiris dos egípcios e  Dionísio dos gregos como o mesmo deus, enquanto outros, Apolo e Dionísio paracem ser uma e a mesma coisa. Uma vez que os projetistas do Grande Selo dos Estados Unidos incorporaram os símbolos apropriados egípcios e greco-romanos  como lemas para o selo ,  cifrando uma profecia sobre o retorno do deus-Apolo-Osiris (aka, Nimrod), parece razoável que os ocultistas também perceberam os dois deuses como representante de uma agência singular invisível. Como resultado, os leitores vão se beneficiar com a compreensão do mito por trás dessas divindades.Na mitológica podem ser encontrados registros,nuances,  traços específicos que têm a ver com a natureza da entidade. Isso é útil na compreensão da natureza do "deus" que está profetizado para retornar.
  

 Compreensão histórica da mitologia organizada 

O início da mitologia organizada  teve origem  na Suméria,  era o ano de 3500 aC, e do deserto aluvial do Oriente Médio,   com muita atividade física e espiritual. Em um vale entre os rios  gêmeos Tigre e do Eufrates, magníficas cidades muradas acordavam com as ruas movimentadas e seus mercados. Em que os gregos mais tarde chamariam de "Mesopotâmia" (entre os rios), o centro mundial do comércio da primeira grande civilização  tinham se  desenvolvido. As cidades opulentas da suméria de Ur,a casa de Abrão, Uruk, Lagash e, formaram as máquinas econômicas do antigo Oriente Médio, enquanto as indústrias de lugares tão distantes como Jericó, perto do Mar Mediterrâneo, e Catal Huyuk na Ásia Menor, concorreriam  para as oportunidades comerciais que ofereciam. Trabalhadores da cidade bíblica de Jericó exportavam sal em Sumer, e mineiros de Huyuk Catal, eram especializados na  fabricação  de espelhos, para embarque na antiga metrópole. Mas enquanto o povo pré-histórico do Oriente olhava para  para o seu abastecimento de pão dos sumérios, os sumérios olhavam  para o céu para o início da ascensão de Utu (Shamash), o todo-provedora deus sol. Em 3500 aC, Utu não foi o único entre os deuses. Até agora o panteão sumério desde a primeira descrição conhecida da mitologia organizada que consiste em um sistema complexo de mais de 3.000 divindades que representavam  a natureza em tos os seus detalhes e o empreendimento humano. Havia deuses do sol e da chuva. Havia deuses da vegetação, deuses da fertilidade, deuses rio, deuses animais, deuses e do pós-vida. Havia grandes deuses Enlil (príncipes do ar), Anu (governante dos céus), Enki, (o deus da água), e assim por diante. Neste panteão existia um segundo nível de divindades, incluindo o deus da lua Nannar, Utu, o deus sol, e Inanna, a "Rainha dos Céus." Uma questão importante, que tem intrigado os estudiosos e historiadores há mais de um milênio é para onde foram os as  divindades dos sumérios? Desde que a  mitologia religiosa da suméria foi  organizada pela primeira vez e que tiveram grande influência das crenças fundamentais da Assíria, Egito, Grécia, Roma e outros, onde se encontram  seus muitos deuses ? Eram as divindades sumérias o produto da imaginação humana, ou a distorção de algumarevelação anterior pré-histórica? Foram eles uma espécie de  "mitologização" de certos heróis antigos, ou, como alguns sugerem os seguidores da Nova Era,ou foi  o resultado de uma visitação extra-terrestre, uma  visitação "alien"(Engação de satanás) cuja aparência deu à luz a suas  lendas e do seus deuses mitológicos? E mais importante, que os deuses da Suméria refletem o surgimento de um poder desconhecido que  funcionava através das dinâmicas pagãs, ou eram os deuses puramente a criação da imaginação primitiva? Estas perguntas são ao mesmo tempo fascinantes e difíceis pois os deuses e deusas da antiga Suméria deixava a Mesopotâmia  envolta em uma história de origens desconhecidas. Era como se  "do nada" os sumérios saltassem para um cenério de milhares de anos atrás, trazendo com eles a primeira língua escrita e um conhecimento progressivo de complicados conceitos religiosos, para um entendimento avançado da astrologia, da química e matemática. A origem duvidosa da cultura suméria fez com que muitos  teóricos ortodoxos  concluirem  que esses deuses e as mitologias subseqüentes que cresceram a partir deles (assírios, egípcios, etc), foi o plano diabólico de uma presença regressiva e de um mal sobrenatural . Se isso for verdade, então  estas manifestações de divindades antigas  continuam a trabalhar dentro do nosso mundo(UFOS?)? Estas entidades primordiais e de vida, uma vez cultuadas como "deuses", coexistiram com o homem moderno? A visão bíblica da origem dos deuses pagãos começa com uma perfeita revelação de Deus ao homem no momento da criação. O primeiro homem, Adão estava de acordo com Deus e recebia o conhecimento divino vindo da mente de Deus. O ser humano estava "em sintonia" e participava  dos processos mentais de Deus, e entendia, portanto, o que Deus sabia sobre ciência, astronomia, cosmogonia, a geologia, a escatologia, e assim por diante. Depois da queda, Adão foi "separado" da mente de Deus, mas manteve uma memória imperfeita da revelação divina, incluindo o conhecimento do plano de redenção de Deus a partir do momento da queda até o final dos tempos e tudo mais, incluindo o dilúvio de Noé , a vinda do Messias, e do Império Mundial final. Duas coisas começaram a ocorrer nas décadas após a queda: 

1) informações da revelação original tornaram-se distantes e distorcidas, como os homens foram dispersos entre as nações e passaram este conhecimento distorcido de geração em geração, e 
2) O reino de Satanás aproveitou esta oportunidade para receber a adoração, e para afastar as pessoas do Senhor, através da distorção e falsificação revelação do original com idéias pagãs e dos "deuses". Desse ponto de vista parece razoável quando se considera que os primeiros registros históricos e arqueológicos das  civilizações ao redor do mundo apontam consistentemente sobre os tempos antigos  e que  repetem os  trechos da história original. Em seu livro surpreendente, A Descoberta do Gênesis , o Rev. CH Kang e Dr. . Ethel R. Nelson confirmar que os chineses pré-históricos tinham  imagens ideográficas (muito usadas na  antigas escritas chinesas) relatam a história de Gênesis, incluindo a criação do homem e da mulher, o jardim, a tentação e a queda, o dilúvio de Noé, e da torre de Babel . Em seu livro, O real significado do Zodiaco , o falecido Dr. James Kennedy afirmou que os antigos sinais do Zodíaco também indicam uma revelação, um singular e original tipo de Evangelho nas estrelas e que a mensagem das estrelas, embora demonizada e transformada em astrologia, após a queda do homem, originalmente recordava o Evangelho de Deus. Ele escreveu:

Existe nos escritos de praticamente todas as nações civilizadas uma descrição das principais estrelas no céu, algo que poderia ser chamado de  "Constelações do Zodíaco" ou o "Signos do Zodiaco", de que são doze . Se você voltar no tempo para Roma, ou para além de da Grécia, ou antes  para o Egito, Pérsia, Assíria, Babilônia ou, independentemente de quão longe você vá, há um fenômeno notável: Quase todas as nações tem os mesmos doze signos , representando as mesmas doze coisas, colocadas na mesma ordem .... O livro de Jó, que é considerado por muitos como o mais antigo livro da Bíblia, remonta a cerca de 2150 aC, que é de 650 anos antes de Moisés viesse em  cena para escrever o Pentateuco; 100 anos antes de Homero escrever a Odisseia e a Ilíada, e 1.500 anos antes de Thales, o primeiro dos filósofos, nascer. No capítulo 38, Deus finalmente fala para e fala a  Jó e aos seus falsos amigos. Ele está questionando Jó, mostrando a ele e seus companheiros a sua ignorância, Deus diz-lhes: "Podes atar as cadeias das Plêiadas, Ou soltar as ataduras do Órion?Podes fazer sair as Mazarote a seu tempo? Ou guiar a Ursa(Arcturus) com seus filhos? "(Jó 38:31,32).Vemos aqui referência à constelação de Orion e Plêiades, Arcturus e as estrelas. Também no livro de Jó há uma referência a Cetus, o monstro marinho, e Draco, o Grande Dragão. Gostaria de chamar a atenção para Jó 38:32 a: ". As Constelações do Zodíaco" "? Podes trazer Mazarote em seu tempo, " Mazarote é uma palavra hebraica que significa No que pode ser o livro mais antigo de toda a história humana, descobrimos que as constelações do zodíaco já estavam claramente conhecidas e compreendidas ... Tendo deixado claro que a Bíblia expressamente, explicitamente e repetidamente condena o que é hoje conhecido como a astrologia, a verdade é que houve este conhecimento que foi dado por Deus, o  Evangelho nas estrelas, que prevê além e por trás o que já foi corrompido. [1]

ELES PLAGIARAM A BÍBLIA!!!

Em seu livro, Kennedy condenou a prática da astrologia, enquanto afirma sua visão de que as constelações do Zodíaco foram provavelmente dadas por Deus ao primeiro homem como um conhecimento da revelação original de Deus. Se o pressuposto principal deste ponto de vista está correto, que uma revelação original foi corrompida após a queda do homem e, posteriormente, degenerou em mitologias dos deuses pagãos, a pessoa deve ser capaz de encontrar inúmeros exemplos de como a corrupção vem de tão longe como desde o início da história e dentro de várias civilizações ao redor do mundo. Os mitos por trás dos deuses seriam, assim, idéias "emprestadas'' , os textos corrompidos seriam semelhantes à verdade original, e, nesse sentido, a evidência de uma revelação singular e original. Se as distorções da revelação original foram, de fato energizadas por um sobrenaturalismo maligno, o objetivo destas alterações nestas revelações seria o de afastar as pessoas da adoração do Senhor. Em certas lendas antigas, tais como o Enuma Elish, o Épico Adapa, e a Epopéia de Gilgamesh, descobrimos os  traços iniciais do caleidoscópio da revelação original(Do gênesis bíblico) foram plagiados para a construção das mitologias dos deuses pagãos. 
    
 TRAÇOS PRECOCES DA CORRUPÇÃO 

Evidências sugerem que as primeiras lendas das mitologias foram precedidos por uma crença em "Deus" (Yahweh ou YHWH aos Hebreus) como o criador de todas as coisas e o "príncipe dos céus." Mais tarde, Satan foi descrito como "o deus deste mundo "(2 Coríntios. 4:4), e o príncipe do" ar "(Ef 2:2). A luta fascinante entre o "príncipe dos céus" versus o "poder do ar" ocorreu na mitologia suméria logo após Enki, o deus da sabedoria e da água, criar a raça humana a partir do barro. Parece que Anu, que estava em primeiro o mais poderoso dos deuses sumérios e os "príncipe dos céus", foram substituídos pelo poder e popularidade de Enlil, o "deus do ar." Para a mente cristã esta  é a percepção  de nada mais nada menos  que Satanás, o deus do ar, continuando a sua pretensão ao trono de Deus, e a sua usurpação do Senhor "o Senhor dos céus." Indica também uma corrupção da revelação original e talvez um esforço por parte do Satanás para enganar os sumérios para que o  reconheçam como "supremo" deus (acima do Deus do céu) e, portanto, digno de adoração. Correspondentemente, no Enuma Elish (um épico da Babilônia), Marduk, o grande deus da cidade de Babilônia, foi exaltado acima dos deuses benevolentes e exaltado como o criador do mundo. Marduk era simbolizado como um dragão (como é Satanás no Apocalipse 12:9) chamado Muscrussu, e sua lenda  contem várias distorções  dos elementos importantes do relato bíblico da criação. A Epopéia Adapa conta a história de outra lenda babilônica também mais ou menos equivalente à contada no Gênesis sobre a criação. Nele, Adapa, como Adão, foi submetido a um teste de consumo de alimentos, falhou no teste, e perdeu sua oportunidade para a imortalidade. Como resultado do fracasso, sofrimento e morte foram repassados ​​para a humanidade(UAU , QUE PLÁGIO VERGONHOSO DOS RELATOS BÍBLICOS E QUE FALTA DE CRIATIVIDADE DO REINO SATÂNICO...).e finalmente, o Épico de Gilgamesh é um poema sumério, que, como o épico Adapa, está profundamente enraizado na Assíria antiga e na mitologia babilônica. Em 1872, George Smith descobriu os pergaminhos de  Gilgamesh ao fazer a pesquisa na biblioteca assíria de Assurbanipal no Museu Britânico. Devido à forte semelhança com o relato bíblico de Noé e a grande enchente do dilúvio, os estudiosos da Bíblia têm visto o épico Gilgamesh com desconfiança. Como diz a lenda, Gilgamesh, o rei da cidade de Uruk, foi informado sobre a inundação de seu amigo imortal, Utnapishtim (o equivalente sumério de Noé). Utnapishtim descriveu para Gilgamesh como o grande deus Enlil decidiu destruir toda a humanidade por causa de seus "barulhentos" pecados. A praga foi enviado, mas não conseguiu convencer a humanidade para se  comportar melhor, e, conseqüentemente, os deuses determinaram uma completa exterminação da raça humana. Enki, o senhor das águas, não estava feliz com os outros deuses por esta decisão e alertou Utnapishtim do dilúvio que viria, instruindo-o a derrubar sua casa e construir um grande barco. Utnapishtim obedeceu Enki, construiu um navio grande, e selou com betume. A família de Utnapishtim entraram no barco com vários animais e aves. Quando as chuvas vieram, as portas foram fechadas e o navio levantou-se acima das águas. Como Noé, Utnapishtim enviou uma pomba para procurar terra firme. Ambos retornaram. Mais tarde, um corvo foi lançado e nunca mais voltou. Depois de mais alguns dias o barco parou no topo de uma montanha, onde Utnapishtim construiu um altar e ofereceu um sacrifício de ação de graças aos deuses(QUE  PLÁGIO VERGONHOSO!!!)Como todos os deuses cheiravam as ofertas, mas Enlil se arrependeu do  envio do dilúvio, isto é um outro exemplo interessante da revelação original de Deus como distorcida ou plagiada por Satanás, a fim deafastar a os homens para longe da adoração do Senhor. Sobre Asclepius, o deus grego da cura:


Na base da colina Pérgamo estava o santuário de Asclépio, equipado com a sua própria biblioteca, teatro, câmaras de dormir usado em rituais de cura, e longo túneis subterrâneos juntam vários outros santuários para que os pagãos usassem  para receber os poderes de cura do filho favorito de Apolo. A Igreja Cristã considerou estes poderes místicos como demoníacos, pois a adoração a Asclepius era focada na imagem de uma serpente, algumas vezes chamada Glycon, a figura desta enorme serpente ,  alguns historiadores consideram como a origem para o símbolo moderno da serpente-cura enrolada  sobre uma vara. Asclepius levou o título sublime de  o deus herói da cura.
Em Números 21, Moisés desenhou a serpente de bronze em um poste que foi usado por Deus como um oráculo de cura. 743 anos depois, em 2 Reis 18:4, lemos  que Israel começou a adorar a serpente de bronze com ofertas e incenso. A partir dai, a imagem foi adotada na mitologia grega, onde se tornou o símbolo de Asclépio, o deus grego da cura.  Foi relatado que  Asclepius teria  curado um número incontável de todas as doenças, até mesmo concebíram que  um homem levantou dos mortos. Este Apolo declarou através de seu oráculo de Delfos : "Oh Asclepius!, Tu que ao nascir, deu  uma grande alegria a todos os mortais, a quem Coronis linda nua para mim, a criança de amor, no Epidauro rochoso." Tal curador foi ele relatado ser, que Plutão, deus do Hades, queixou-se a Zeus que quase ninguém mais estava morrendo, e assim por Zeus destruiu Asclepius com um raio. Depois, pediu a Zeus Apolo para restaurar seu filho e ele este focou tão comovido com esta intercessão, que  Zeus que ele não apenas trouxe Asclepius de volta à vida, mas imortalizou-o como o deus da medicina.Primeiro na Tessália, e finalmente em todo o mundo grego e romano, Asclepius foi venerado como o deus salvador de cura. [2]
Além do simbolismo da serpente entrelaçada, o plágio da Revelação Original do Gênesis  Bíblico ,  é encontrado na mitologia grega, onde Asclépio tem o poder de curar os doentes e para trazer os mortos de volta à vida , derramando seu sangue , que ao lado da deusa da justiça, a mesma deidade, em forma de um sistema,  que "retornará" no reinado da era  de Satanás durante a Novus Ordo Seclorum. Asclepius era simbolizado por uma serpente sinuosa sobre um poste, e foi chamado de o grande "Médico" . A intenção óbvia da serpente em um poste, em Números 21, foi de alertar  a humanidade sobre a vinda do Messias, o verdadeiro médico Grande, Jesus Cristo, que iria ser pendurado sobre uma cruz para curar seus seguidores da doença e da morte pelo sangue que derramado .  Eu peço desculpas de antemão pelas explicações que ainda virão, serão  um pouco demoradas, afinal um conhecimento básico de certos aspectos da mitologia por trás dos deuses do Grande Selo dos Estados Unidos será valiosa para a conpreênssão deste estudo.

2 comentários:

  1. A própria bíblia é um plágio.

    ResponderExcluir
  2. Amigo, aí que vc se engana e comete um anacronismo terrível. Você fala como se a Sagrada Escritura estivesse presente desde os primórdios da humanidade e que todas essas Civilizações "copiaram a bíblia". Que disparate! O próprio povo hebreu com toda a sua história e religiosidade são posteriores ao surgimento dessas Civilizações Babilônicas. Como pessoas sérias e cientes da história, devemos dar a mão à palmatória, e reconhecer que a crença o bem e no mal, em seres de natureza opostas, no juízo final e no paraíso já haviam entre os povos pagãos antes do judaísmo. Pare de Divinizar a Bíblia; a Revelação Divina jamais se limitou a livros ou a conjuntos deles e muito menos careceu deles pra chegar até nós.

    Sugiro que leia essa artigo: http://oprotesto1.blogspot.com.br/2009/06/monolatria-hebraica.html

    ResponderExcluir

Por favor, note que os comentários são moderados e que todos
os spams, insultos, proselitismo e discursos de ódio serão removidos.