quarta-feira, 29 de junho de 2011

O Mistério Final do Grande Selo Revelado: Construções sinistras(Parte 6)

O  Mistério Final do Grande Selo Revelado
A agenda aterradora e Profética, escondida do mundo pelo governo dos EUA por mais de 200 anos está aqui

 

Eu terminei a parte 5 desta série fazendo alusão que o reconhecimento aos deuses pagãos através do uso de imagens e símbolos maçons é claramente proibido pela Bíblia  , sendo um  tipo de atividade descrita como devoção aos demônios. Existem estudiosos  metafísicos que não usam unicamentea  Bíblia como  a autoridade máxima para estas questões , no entanto, muitas vezes , eles concordam que poderosas energias  não-humanas, podem  emanar destes  símbolos e, uma vez liberadas, estas energias maléficas assumem a  mente de seus usuários. Escrevendo sobre o envolvimento maçônico na Revolução Francesa, Gary Lachman faz uma observação importante sobre esta extraordinária e imaterial força destrutiva, que tinha planos invisíveis , como resultado da política ocultista:
Cazotte mesmo era consciente das energias perigosas desencadeadas pela Revolução .... Embora Gazotte não use o termo, ele sem dúvida teria acordado que, qualquer que seja o começo, a Revolução logo assumiu uma vida própria, vindo sob o poder de uma egrégora, palavra grega para "observador", uma espécie de entidade imaterial  que  preside uma atividade humana ou coletivo. De acordo com o autor anônimo das Meditações fascinante sobre o Tarot, não existem "boas" egrégoras,mas  apenas "negativas"  .... Verdade ou não, egrégoras podem, contudo, ser "geradas pela vontade coletiva e pela  imaginação das nações." Como Joscelyn Godwin aponta, "uma egrégora é aumentada pela crença humana, pelo ritual e, especialmente, pelo sacrifício. Se ele é suficientemente alimentado pela energia, a egrégora pode assumir uma vida própria e parecendo  ser uma divindade, pessoal independente, com uma potência limitada em nome de seus devotos e com um apetite ilimitado para sua devoção futura. " Se, como alguns esoteristas acreditam, os conflitos humanos são o resultado de forças espirituais para fins espirituais, e essas forças não são todas os "boas", então as catástrofes coletivas, como a Revolução Francesa assumem um significado diferente. [4]
Além de egrégoras ou demônios , ou qualquer  nome  que seja , são atraídos  para os homens como os insetos o são para uma lâmpada, e são energizados por meio de símbolos, estátuas e rituais, Ovason diz que a dedicação da pedra fundamental para a  construção do capitólio dos  EUA , em especial , tinha que ser feita em um determinado tempo astrológico relacionada com a constelação de zodiacal de Virgem  (Isis), enquanto que Júpiter estivesse ascendente em Escorpião, porque "a pedra angular do  cerimonial foi concebida, não só para ganhar a aprovação dos seres espirituais, mas também para garantir que estes ficariam satisfeitos que o prédio estava sendo trazido ao mundo no momento certo. "[5] Ovason,  depois acrescenta mais diretamente," ... quem e o signo de 'Virgo'' seria tão consistentemente operatório durante a fundação e na  cerimônia da  pedra angular, deve ter sido de alertado para o fato de que eles estavam convidando alguns arquétipos, ou seres esprituais , para dirigirem o destino da cidade "(itallics no original, pg 361). Finalmente  Ovason  dá dicas que os "seres espiritual" que regem a Capital dos Estados Unidos são: "... do esoterista medieval .... Teria dito que Washington, DC, seria governada pela sabedoria de  Hamaliel , a entidade espiritual  de Virgem, e que trabalharam lado a lado com Mercúrio "(pg 373). Hamaliel é um adversário de Deus ,um querubim do mal , sob o comando de  Lilith , já  escrevemos  sobre seus devotos, que se reúnem anualmente para honrá-la , no Bohemian Grove.

Todo 10 de agosto, um evento astrológico  no céu acima de Washington, amarra a cidade para a pagã Virgo , conhecida no antigo Egito como a deusa Ísis. "Ao anoitecer, a luz dourada  se transforma uma  fachada rosa, de tijolos empoeirados, o sol brilhante flutua alguns graus à esquerda da Pennsylvania Avenue, gradualmente, avançando para a direita até que ele caia diretamente sobre a famosa rua", escreve Julie Duin. "Se o horizonte permanece sem nuvens,  três estrelas são visíveis em uma linha reta do Capitólio até a Casa Branca,  para o céu a oeste. Conhecidas como Regulus, Spica e Arcturus, as estrelas formam um triângulo retângulo,  enquadrando a constelação de Virgo. "[6] Tal misticismo foi  incorporado no projeto de Washington, DC, por maçons, para chamar o momento, a presença e aprovação destes" agentes invisíveis,  "foi uma fórmula traazida e aperfeiçoada da Roma pagã. John Fellows explica por quê:

"... Eles consultaram os deuses, para saberem se o empreendimento seria aceitável por eles e, o dia escolhido fosse aprovado  para começarem os trabalhos ... eles invocaram, além dos deuses do país, os deuses para cuja proteção, a nova cidade nova foi recomendada, o que foi feito secretamente, porque era necessário que os deuses tutelares devam  ser desconhecidos para o profano. "[7]

Pode vir como surpresa, então, que quando George W. Bush em um discurso no dia anterior sua segunda  presidente dos EUA, disse que os Estados Unidos tinham "um chamado além das estrelas" (uma declaração perturbadora extraída diretamente da ficção Necronomicon satânica,  sobre deuses criadores alienígenas ) que o prédio do  Capitalio tinha sido feito intencionalmente na cabeça de uma figura da coruja maçônica, que por sua vez fica no topo da Casa Branca, localizado no queixo do Bode Pentagrâmico de Mendes. O pentagrama de cabeça para baixo ou "baphomet", claramente visíveis no layout de rua DC, representa a cabeça do bode e é considerado o símbolo mais poderoso do satanismo, enquanto a figura da coruja é um conhecidosímbolo  maçônico, Illuminati, do Bohemian groove, coruja da sabedoria encarnação de Atena, Minerva, Lilith e de  Hécate.

Ocultistas em todo o mundo entendem o poder desses símbolos e rituais de Wanshington DC, e percebem que não são apenas para a transmitirem conceitos psicológicos, mas na verdade para coagir o sobrenaturalismo misterioso e potente sobre os convidados da residência. Essa crença é profundamente preservada em simbolismos  babilônicos, egípcios,  grego, romano e cabalístico que são  uma parte da história maçônica, e de acordo com maçom famoso, Foster Bailey, esses símbolos intencionalmente escondem "um segredo ... em  véus de forças misteriosas. Estas energias, quando liberadas podem ter um efeito potente "[8] O filósofo famoso escocês Thomas Carlyle, uma vez  acrescentou:" Por meio de símbolos, portanto, está o  homem , guiado e comandado,  feliz e miserável , os "maçons como resultado,  estão sob juramento de nunca mais revelar o verdadeiro significado de seus símbolos, e quando de alguma forma eles são obrigados a oferecer explicação, terem que falsificar a declaração, mesmo para os maçons de menor grau, como explicado pelo Soberano Grande Comendador Albert Pike em Morals and Dogma, o manual maçônico: "A Maçonaria, como todos os religiões, todos os Mistérios, hermética, e a Alquimia, esconde seus segredos de todos, exceto dos adeptos e sábios, ou eleitos, e usa falsas explicações e falsas interpretações sobre seus símbolos para enganar aqueles que merecem somente ser enganados; para esconder a verdade, que chama de Luz, a partir deles, e para atraí-los para longe dele. "[9]

Existem razões substanciais por que o de designer do Centro de governo de Washington  teria que  obscurecer o significado por trás do esquema ocultista da capital dos Estados Unidos. Se o público em geral tivessesido prematuramente convencido  do jogo final profetizado no simbolismo da capital,  teria sido além da aceitação de gerações anteriores que provavelmente teriam exigido mudanças nos líderes e instalações. Mas como o tempo passou  e tornou-se cada vez mais necessária  a compreensão pública  sobre esta herança dos Estados Unidos e a sobre a sua finalidade, pouco a pouco, surgiu  tanto pela providência, promoção, ou mesmo resistência à uma imagem mais clara  do que Manly P. Hall chamou de  "O Secret Destiny of America. "

De acordo com o simbolismo em Washington, DC, o destino secreto da América inclui a subserviência nacional e global futura ao deus da maçonaria, a maioria dos americanos divindade não poderia imaginar ao recitar o juramento de lealdade para uma divindade que não fosse "uma nação sob Deus." Na verdade, a idéia passada por  alguns , de que os Estados Unidos foi estabelecida como uma "nação cristã" monoteístas por aqueles que projetaram Washington, DC, e que o "Deus" referido na moeda americana é de origem judaico-cristã, é uma conclusão intrigante, e parece enganosa  quando refletido contra as crenças deísta  dos pais fundadores da américa (como visto no perpetuamente "Supremo Arquiteto" , no deísmo dos maçons e no "Juiz Supremo do mundo" e "Divina Providência" , anotações na Declaração de Independência) e nos  incontáveis ícones ​​pagãos que dominam seus símbolos, estátuas, edifícios , cuidadosamente elaborados sob os auspícios do governo oficial. O Grande Selo dos Estados Unidos, que o maçom de Grau 33 , Manly P. Hall ,   chama justamente  de  "assinatura" maçônica que projetou a América para um "propósito peculiar e particular"    do cristianismo. Na verdade, quando os cristãos em 1800 argumentaram que uma aniquilação hipotética  levam os  EUA nos   " séculos seguintes", concluiram que a América tinha sido uma nação pagã baseada no simbolismo do Grande Selo.O Congresso foi levado a criar algo que refletisse a fé cristã  de muitos de seus cidadãos. O presidente maçon dos EUA, Theodore Roosevelt se  opôs fortemente esta idéia, enquanto outros maçons não  ficaram tão frustrados com este conceito. Dada a ambivalência do "Deus" do termo e do axioma de que, interpretado no contexto do simbolismo do Grande Selo , este certamente não infere um deus cristão tradicional, o slogan "In God We Trust" (que deus você acha que é?) foi colocado por maçons e outros illuminatus e assim aprovado como o lema oficial dos EUA.

Para ilustrar o ponto que não se pode determinar qual é o "Deus" que lema oficial dos Estados Unidos refere,  se ao Pai de Jesus Cristo ou uma Trindade bíblica, imagine-se como um viajante do espaço que visita a terra em um mundo pós-apocalíptico de ficção. Escavando os escombros do planeta,  uma vez prosperando, você se deparar com uma cópia de uma nota de um dólar dos EUA,  com o Selo de dois lados ,  juntou-se no meio a frase "IN GOD WE TRUST." Após a análise, você se pergunta, "o que Deus , eles  referiam  ? "Sem preconceitos você pode permitir que o simbolismo no selo possa  falar por si só, a partir do qual você seria levado a pensar rapidamente que esta foi uma grande cultura que adorava divindades egípcias e gregas, especialmente o sol em particular, cujo olho que tudo vê olhou estava por cima  de uma pirâmide egípcia inacabada. Ao investigar mais  as crenças específicas deste  grupo de estranhos,  cujos membros tinham sido influenciados pelo grande selo, você descobre que  seus grandes mestres , incluiam um "Ilustre" Albert Pike, que venerava o  deus Sol,   tão conhecido por eles em vários momentos na história pelo nome Apollo, Osíris e Nimrod.

Então, você decodificaria algo ainda mais importante: a agenda(Ou profecia, ou adivinhação...), escondida no Grande Selo,  que profetizava um momento em que esse "deus" retornaria à Terra em um corpo físico. Sua vinda, de acordo com as informações que você recolheu, se daria  a partir dos relatos do Grande Selo, anunciando uma Nova Ordem Mundial. Em retrospecto, você se pergunta: E era esse o  advento profetizado no grande selo, o fomentador da destruição,  que aniquilou a humanidade o que ao mesmo tempo era tão adorado pelo  mundo?

Fique atento ...em breve a parte 7

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, note que os comentários são moderados e que todos
os spams, insultos, proselitismo e discursos de ódio serão removidos.