domingo, 6 de março de 2011

A magia, A máfia e o ocultismo

REVELAÇÕES HISTÓRICAS SURPREENDENTES (NADA ´TRIVIAL´), SERVINDO PARA DEIXAR A IGREJA DO SENHOR ATENTA AS EVIDÊNCIAS CONSPIRATÓRIAS MALIGNAS - VALE A PENA INFORMAR-SE!!

 
Pirâmide do poder, um dos principais símbolos maçonicos, erigida há pouco tempo na fronteira entre Egito e Israel.


Logo após a Loja (Maçônica) coar o Iluminismo, no fim do século 18, surgiu outra figura extraordinária na maçonaria. Seu nome era Albert Pike (foto, 1809-1891), e seu impacto sobre a maçonaria foi tão poderoso quanto o de Weishaupt. (...) Ele foi o "gênio mestre da maçonaria"... Manly P. Hall chama-o de "Platão da maçonaria". De fato, esse é um grande louvor, especialmente para um homem que exprimiu desdém pelo cristianismo, e que considerava Jesus um mestre cujo corpo está agora no pó. Hoje, a maior parte dos defensores da maçonaria está se afastando de Pike, visto que seus escritos, especialmente sua obra Moral and Dogma são excepcionalmente irritantes para alguém que tenta provar que a mçonaria é uma sociedade benevolente que não está em conflito com o cristianismo. (...)

Pike parece ter sido decisivamente influenciado pelo maçom e revolucionário italiano Giuseppe Mazzini (foto, 1805-1872). Mazzini e Pike eram os "gêmeso idênticos" malignos da maçonaria do século 19, com Pike dirigindo o espetáculo nos Estados Unidos e Mazzini na Europa. Ambos eram militantes com faro para a rebelião. Pike era um general do lado dos Confederados na Guerra Civil (Obs - Os "Confederados" foram uma aliança de alguns estados do Sul dos EUA, que eram escravocratas, isto é, defendiam a legitimidade da escravidão dos negros. Lutaram com Estados no Norte, que venceram a guerra civil americana, e surgiu o país Estados Unidos), apesar de ser um "ianque", nascido em Boston.

Mazzini formara na Sicília uma sociedade chamada Oblonica, que traduzido livremente significa: "Conto com um punhal". Como é típico dos maçons, Mazzini formou uma ordem dentro da ordem. Esse grupo de elite interior foi chamado por um termo muito mais familiar ao leitor - a Máfia!

Apesar da maior parte das pessoas saber o que a Máfia é, poucas perceberam que ela foi fundada coom uma organização maçônica terrorista. O nome Máfia emergiu por volta de 1860, e é um acrônimo para
Mazzini
Autorizza
Furti,
Incendi,
Avvelenamenti
Mazzini Autoriza Furtos (roubos), Incêncios, Envenenamentos.

O toque dos Illuminatti(*) também é evidente na Máfia. Lembra da MAFIA com a mão esquerda erguida para a frente e os cinco dedos estendidos? Alguns poderão lembrar que a Máfia foi conhecida por um outro termo: Il Mano Nigro - A Mão Negra! No apogeu da sociedade, os crimes da Máfia frequentemente foram selados por uma imprssão palmar negra na cena. como se alguém tivesse pegado sua palma, pressionado na tinta e feito uma impressão da mão na parede.

A Máfia tem também seus juramentos de sangue, seu códico de silêncio, a Omertá, e ela cuida dos que são seus. É uma organização maçônica ideal.

Pike, por outro lado, ajudou a criar o que eu chamo de "maçonaria percal": a Ku Kluz Klan! Pike, o antigo general confederado, foi um ardiloso estrategista que sabia que, se ele pudesse deixar uma sociedade terrorista secreta no sul para lutar contra a liberdade do povo negro como uma ação de retaguarda, a derrota do Sul não seria em vão.

Apesar de que estes fatos podem atordoar os maçons, a Loja sempre foi racista! Quase nenhum homem negro já foi admitido na Lojas porque entre as qualificações necessárias está que o canditado seja um "homem, nascido livre, de boa reputação e bem recomendado". Este é o que sifinifica o termo "livre" na maçonaria. (...) Esta regra manteve os negros de ancestrais escravos fora da Loja até cerca de uma década atrás. Os homens negros foram forçados muito na história dos Estados Unidos a gerar a sua própria adaptação da maçonaria, que é chamada de Maçonaria de Prince Hall.

Aliança impura

Em 1870, Pike e Mazzini completaram um acordo para criar o rito supremo, universal da maçonaria, que abarcaria todos os outros ritos, até mesmo os diferentes ritos nacionais. Ele centralizaria todos os altos organismos maçônicos no mundo sob uma cabeça. Essa cabeça, em última análise, é Lúcifer. Contudo, Pike e Mazzini seriam seus regentes humanos. Para este fim, o rito do Paladium foi criado como o pináculo da pirâmide do poder.
Domenico Magiotta, um maçom do 33º grau, escreveu:
"O Paladismo é um rito necessariamente luciferiano. Sua religião é neo-gnosticismo maniqueísta, o ensino de que divindade é dupla e que Lúcifer é igal a Adonai, com Lúcifer sendo o deus da luz e da bondade combatendo a favor da humanidade contra Adonai, o deus das trevas e do mal. [...] Albert Pike apenas especificou e desvendou os dogmas dos graus elevados de todas as outras maçonarias, pois, não importa qual seja o rito, o Grande Arquiteto do Universo não é o Deus adorado pelos cristãos.". (Lady Queesborough (Edith Starr Miller), Occult Theocracy, Christians Book Club of America, Los Angeles, 1933, p. 217. Nota - G.A.D.U. é o nome de onde vem o "G", encontrado no meio de outra forte simbologia maçônica, o esquadro e o compasso.).
Por favor, note com atenção essa última declaração. A doutrina luciferiana , somos ensinados, está implícita nos graus mais baixos, e só torna-se um conhecimento explícito nos graus mais altos. O grau mais alto era o Paladium. (...) Apesar de alguns apologistas maçons como Arthur E. Waite afirmarem que não havia nenhum Paladium luciferiano sob Pike, seus protestos não têm consistência. O próprio Waite era um bruxo e ensinava as pessoas através dos seus livros como conjurar demônios e vender suas almas para o diabo!

Apesar de ele afirmar ser um "mago cristão" (?!?!?) de "luz branca", escreveu livros com títulos como "O livro dos pactos e da magia negra". Quão ingênuos eles acham que somos? Ninguém pode ser um mago cristão mais do que se pode ser um traficante de crack, cristão!

Fui trazido para a Loja Paladium (Rua Resurrection, nº 13), em Chicago, no final da década de 70, e recebi o grau de "Paladino" naquela loja em 1981 do filho e dum dos principais ocultistas do fim do século 19 - um discípulo de Aleister Crowley (conhecido satanista e maçon americano, fundador de um tipo de bruxaria chamado "thelema"). Evidentemente havia (e há) maçonaria de Paladium operando no século 20.

Envergonho-me de admití-lo, mas eu, eu mesmo, fiquei na Loja e uni-me na imprecação tradicional do Paladium, que é (traduzida do francês): "Glória e Amor para Lúcifer! Ódio! Ódio! Ódio a Deus, maldito! Maldito! Maldito!". Apesar de que não posso ter certeza absoluta, não tenho razão para duvidar da autenticidade da iniciação que recebi. Ela veio com certeza do fosso do inferno! (...)

"O morto poderoso"
O quê você poderia oferecer a alguém que já tenha alcançado o pináculo da maçonaria? Muitos, se não a maioria, já têm riqueza e poder. A única sedução adicional de poder seria esta antiga: "É certo que não morrereis [...] Como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal" (Gn. 3:4-5).


A esses homens seria oferecida a imortalidade e uma sabedoria divina. Em comum acordo com a maior parte das outras religiôes do tipo gnóstico, o Paladium ensina que a serpente disse a verdade no Jardim do Éden. Basicamente, os candidatos são expostos no Paladium a um programa de cinco pontos (Aqui, resumirei o mesmo - nota pessoal):

1 - Adoção: É quando o maçom é trazido à comunhão com Lúcifer. (...) Em última análise, ele é levado a fazer um pacto com Lúcifer. (...) O maçom promete submeter-se de corpo, alma e espírito a Lúcifer, geralmente por um período de 7 anos. Em troca, Lúcifer promete conceder-lhe todos os desejos mundanos. Quando os sete anos terminarem, se ele foi um bom servo, Lúcifer lhe dará outros sete anos. Se ele falhar de algum modo, sua vida é tomada.
2 - Iluminação: Através de drogas e técnicas ocultas dos videntes, é aberto o asim chamado Terceiro Olho (...) chamado Ajna de Chacra. (...) Este é o motivo pelo qual um dos símbolos maçônicos é o "Olho-Que-Tudo-Vê". É um símbolo de "iluminação". (...)
3 - Conversação: Envolve comuncar-se com "O Morto Poderoso". Tanto a minha experiência pessoal quanto o testemunho histórico concordam que o espiritismo desempenha um parte significativa no Paladium. (...) Seres "sábios e poderosos" aconselharam-nos e ensinaram-nos como trazer mais perfeitamente nossos corpos e vontades sob a sujeição de Lúcifer.
4 - Relações sexuais: O iniciado é levado a casar-se literalmente com esses mortos. Geralmente isso era feito usando um médium do gênero apropriado possuído pelo "espírito do morto" (na verdade, um demônio), e então um casamento sacrílego era consumado. Acreditava-se que a "virtude" mágica do espírito fluía do médium para o iniciado através do íntimo. Algumas vezes um espírito de verdade era invocado usando o que é chamado de VIII trabalho (auto-abuso mágico) na esperança de que um súcubo (demônio "fêmea") ou íncubo (demônio "masculino") se manifestasse. A idéia era que a sabedoria e o poder divino gradualmente seriam, através de repetidas relações sexuais, totalmente infundidos na mente, corpo e vontade do iniciado. Uma vez que esse objetivo medonho seja alcançado, o iniciado é trazido para a:
5 - União: Neste ponto, a alma do iniciado é totalmente eclipsada pelo espírito maligno. Em outras palavras, virtualmente "não há ninguém em casa", exceto o demônio. Isso é conhecido como "possessão perfeita" e leva muitos anos convidando os demônios para vir e dominar a pessoa. Neste ponto, o indivíduo deixa de ser um indivíduo autônomo. Ele não é mais do que uma "luva" carnal com uma "mão" demoníaca interior controlando cada movimento seu.
Visto que o Senhor mostrou que o reino de Satanás não é dividido contra si mesmo (Mt. 12:25-26), podemos presumir que estes demônios querem cooperar para realizar seus alvos. Isto é verdade visto que Satanás não é um mestre amável e pode ser inacreditavelmente cruel quando pune a desobediência.

É através de pessoas como estas que a "Lei dos Cinco"(*), de Weishaupt pode ser utilizada. Os líderes observam o que entendem serem viradas no ciclo político e têm seus "santos" preparados para mudar-se para áreas-chave, agir sem compaixão nem nenhum migalha de humanidade. Esse "seres iluminados" consideram os humanos assim como consideramos o gado. Uma fome aqui, um massacre ali - o que são uma poucas centenas de milhares de vidas humanas comparadas à nobre causa de Grande Arquiteto? (...)

Como são marionetes, movem-se em uníssono, mentalizando um fim que transcende cada geração. Mesmo que morram em breve, as mentes-mestras demoníacas que os controlam irão continuar a viver, e garantirão para si mesmos novas "casas" na quais morarão (Mt. 12:45-46). Estes demônios não se importam se seus alvos levam gerações para serem atingidos. Acham que o tempo está ao seu lado. (...)

A experiência no caminho do mal
Não fui um maçom típico. Uni-me à Loja por sugestão dos meus mentores no ocultismo, porque eles entendiam que os graus da Loja seriam uma parte essencial da minha "evolução" espiritual. Fiz isso obedientemente, e fiz o meu máximo para ser um maçon fiel.

Fui instruído a tomar primeiro a senda do "Rito de York" (a maçonaria americana). Uma vez que tornei-me um "Cavaleiro Templário" (o equivalente ao 32º grau do Rito Escocês, que possui 33 graus), fui considerado "digno" dos graus maçônicos europeus. Meu progresso através destes degraus foi fértil, em iniciações estranhas, terríveis demais para relatar. Num endurecimento gradual da minha consciência, fui levado através dos ritos egípcios da maçonaria e recebi o grau 90, um nível que poucos maçons americanos até mesmo sabem que existe!

Ao mesmo tempo, trabalhava duro nas organizações maçônicas regulares. Eu queria servir, ee eles proveram a oportunidade. Fui oficial de praticamente todas as organizações maçônicas, exceto no Rito Escocês e no Santuário. A maçonaria havia se tornado uma parte importante da minha vida, especialmente porque eu tinha vindo a conhecer o verdadeiro segredo da Loja através do meu envolvimento como ocultismo nos cargos de alto nível.

Pelo caminho, conheci alguns outros "peregrinos" que estavam profundamente envolvidos com a maçonaria esotérica, mas a maioria dos maçons estava tranquilamente nas trevas quanto à "luz" que tinha. Eles nem mesmo sabiam qual era o segredo que guardavam tão cuidadosamente. Como operários de um projeto secreto, permitia-se-lhes saber apenas o mínimo necessário para trabalhar no sistema. Esses pobres homens, muitos dos quais frequentadores de igrejas, ignoravam a inteireza do quadro, e ficariam horrorizados ao aprender a verdade escondida por detrás das camadas de alegoria. Vamos tirar o véu deste "santuário" e expor as trevas da maçonaria!".

INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA PESQUISA

Obs.: Os dados fornecidos aqui incluírão as definições de alguns termos apresentados no texto acima, principalmente aqueles que precedem o (*)
"Os ´maçons livres´ originais eram pedreiros e que formaram uma corporação de ofício. O aumento nas construções de catedrais na Europa pela Igreja na Idade Média criou um mercado para construtores especializados. As associações de profissionais forneciam a garantia de que os artífices eram qualificados. Naqueles dias, praticamente todos eram iletrados, de modo que uma "carteirinha do sindicato" seria inútil. Todavia, visto que muitos pedreiros viajavam de cidade em cidade para trabalhar em catedrais, especula-se que os sinais da maçonaria eramusados para determinar o nível de competência de um trabalhador.

(...) Depois da queda dos Templários (ordem católica criada em 118 e extinta em 1311) , cavaleiros monges que, à princípio, presume-se que foram utilizados para proteger as caravanas de peregrinos a Jerusalém, na época dominada por muçulmanos, algumas idéias curiosas começaram a se refletir no trabalho dos artífices - de natureza claramente oculta. Olhe para qualquer grande catedral da Idade Média, como Chartres ou Notre Dame, e você encontrará obras primas de sua arte. Elas estão cheias de símbolos ocultos - gárgulas demoníacas, unicórnios e outras de fácil descrição. Por quê? (Vide foto: dois cavaleiros num só cavalo. Símbolo clássico dos templários, sinalizando o seu voto de pobreza. Apesar do voto, a ordem tornou-se riquíssima e foi acusa de conspiração, na França e em toda a Europa, sendo extinta no período do Concílio de Vienne. Este símbolo está presente em várias igrejas cristãs, de origem européia, indicando que os líderes destas igrejas devem pertencer à maçonaria).

Apesar de a Europa medieval ser católica, grande parte do povo comum era pagão - pelo menos na prática, quando não também em teoria. Muitas das festas, dos santos e até mesmo dos lugares das catedrais da igreja medieval eram na verdades, festas, deuses e lugares de adoração pagâos. A catedral de Notre Dame em Paris foi construída no lugar de um templo importante do deus de chifres da bruxaria, Cernuno. (...)

Os segredos (das construções) jamais poderiam ser escritos, em parte porque eram "sagrados" e eram comunicados apenas de ´boca em boca´e, em parte porque dificilmente algum dos pedreiros sabia ler. Muito do que se vê, especialmente no protal central de Notre Dame, são na verdade auxílios à memória, que os mestres mais velhos usavam para ilustrar seus segredos para os mais jovens no ofício. (Foto: Agnus Dei, ou Cordeiro de Deus. O cordeiro segurando a cruz é outro famoso símbolo templário, e posteriormente, maçon. Também está presente em várias igrejas cujos líderes participam de sociedades secretas. Estes símbolos ficaram mundialmente conhecidos com a divulgação de "O Código DaVinci", trama que culmina na capela de Rosslyn, Inglaterra, organizada sob os segregos ocultistas dos templários).

Eram charadas gravadas em pedra para durarem séculos! A maioria destas charadas não podia ser decifrada sem as chaves que era providas na iniciação maçônica. Ao adepto, a fachada revela os segredos supremos da maçonaria, o assim chamado "segredo-real" das fórmulas alquímicas.
(...) Até o século XVII havia só maçons operativos. Contudo, em cerca de 1600, a maçonaria começou evidentemente a iniciar não-construtores para as suas fileiras. Isso foi o catalisador final que trouxe a maçonaria moderna à existência. A maior parte dos maçons traça sua fundação á primeira Loja "Mãe", que se reuniu numa taverna em Londres, em 1717.

Em Concordância suas ligações com os templários, esses primeiros maçons reuniram-se em 24 de Junho de 1717, na festa de são João, o dia mais sagrado para os cavaleiros templários, e que também é um grande feriado satânico! Em 1726, essa loja tornou-se a "Grande Loja de toda a Inglaterra". A isso seguiram-se cismas entre outras "Grandes Lojas", tanto na Inglaterra como no restante da Europa. Em 1773, a segunda Grande Loja mais influente, o Grande Oriente, foi formada na França.

Isso nos leva a uma data muito importante na maçonaria moderna - 1º de Maio de 1776! Neste dia foi introduzido o elemento final da equação maligna da maçonaria. (O autor mostra e reafirma como as vertentes de cultos da fertilidade, do misticismo islâmico, da alquimia, dos templários e do rosacrucionismo combinaram-se com as corporações de pedreiros da Europa). A pedra fundamental do arco foi provida por um obscuro professor de direito canônico de formação jesuíta, que ensinava na Universidade de Ingolstadt, na Baviera, chamado Adam Weishaupt(*). Dia 1 de Maio (...) foi a data selecionada para a fundação da sua sociedade secreta, chamada ANTIGOS E ILUMINADOS VIDENTES DA BAVIERA.

A origem dos videntes bávaros - ILLUMINATI - pode ser traçada até à seita muçulmana de iluminados do século 16, no Afeganistão, chamada Roshaniya. Vemos (...) a influência penetrante do islamismo nessas sociedades secretas. Weishaupt afiliou-se aos mçaons, entrando para a Loja de Munique em 1777. Ele trabahlou incansavelmente para enxertar o Iluminismo na maçonaria. Weishaupt fez parecer que a sua sociedade trabalhava com finalidades nobres, como a fraternidade da humanidade. (...)

Muitos acharam que o objetivo de Weishaupt era criar um império de "reis filosófos" geniais, com ele mesmo como o rei número um. O grau mais elevado da sua ordem era o de "Homem-Rei". Claramente ele pretendia promover um caos controlado, necessário para a revolução. De vários modos, a Revolução francesa e o Reinado de Terror (vide livros e referências históricas sobre este período) eram típicos dos planos de Weishaupt.
"Lei dos Cinco"
A imagem mais forte da feitiçaria iluminista é o sinal de Dagon (Nota: Observe que a maçonaria moderna surge no período conhecido como Iluminismo, movimento filosífico antropocêntrico, cujos valores humanistas foram levados a um radicalismo extremo, em detrimento da imagem e idéia de Deus). A mão estendida com a palma para a frente, os cinco dedos estendidos. Essa "Lei dos Cinco" pautou a história. Weishaupt ensinou que tudo ocorre em grupos de cinco. O concílio confidencial original (dos Illuminati, ou "Iluminados") era composto de cinco homens (veja bem quem eram): Kölmer (amigo de Weishaupt), Francis Dashwood (do clube satânico "Fogo do Inferno"), Alphonse Donatién DeSade (de quem vem a palavra "sadismo"), Meyer Amschel Rothschild (fundador da grande casa bancária) e Weischaupt. A história humana vem num ciclo de cinco estágios (isto foi reafirmado pela Teosofia, movimento esotérico do século XIX, dirigido por Helena Petrovna Blavatsky, fortemente anti-cristão, e um dos precursores místicos do Nacional Socialismo, conhecido como Nazismo). Os cinco estágios (MUITO POUCOS CONHECEM ESTAS INFORMAÇÕES):

1. Caos (Verwirrung). O ponto de partida de todas as sociedades, e a condição da humanidade em seu estado "natural". Relaciona-se à adoração de deusas da antiguidade, como Lilit (na mitologia esotérica hebraica, a primeira mulher de Adão), Eris, Diana ou Cali.
2. Discórdia (Zwietracht). Aqui, de acordo com o ensino de Weishaupt, uma classe dominante emerge e apodera-se do controle. Isso causa problemas porque o "povo-comum", que não está no topo, ressente-se da imposição de autoridade sobre eles e tenta combatê-la. Weishaupt relacionou este período com a introdução (ou ´imposição´) da adoração de um Deus masculino, como o Deus da Bíblia (também Marduque ou Osíris).
3. Confusão (Unordnung). Weishaupt viu este período como um tempo em que as pessoas tentariam restaurar o equilíbrio entre as duas forças precedentes. (...) É uma tentativa de reprogramar a natureza humana e fazê-la encaixar-se no estágio 2. Ele relacionou este período com o deus-criança (Loqui, Horus, ou algum demônio).
4. Burocracia (Beamtenherrschft). (...) Neste estágio, todas as coisas precisam ser obcessivamente acompanhadas, pois o povo não consegue tomar conta de si mesmo. Weishaupt acreditou que havia um vazio espiritual neste estágio, e que absolutamente nenhuma divindade seria recorrida. O único deus passa a ser a burocracia dominante. O povo não pode suportar este vazio e parte a fantasia, drogas ou loucura. (...) É nesta fase que ocorre a destruição da classe média. Sem a classe média para gerar capital, a inteira desordem acaba no...
5. Resultado (Grummet). Este, ensina o líder dos Illuminati, é a implosão da sociedade - a volta ao caos. A burocracia sucumbe sob o peso dos seus próprios regulamentos e as coisas fogem ao controle. A magia e a natureza voltam a dominar, e o ciclo prepara-se para recomeçar. Daí vem o 32º do Rito Escocês: "Ordem do Caos".
(...) Não tivesse Deus interferido toda a Europa bem que poderia seguido o caminho da França e do "Terror" subsequente. A infiltração de Weishaupt na maçonaria poderia ter sido completa se um mensageiro da AIVB não tivesse sido derrubado do seu cavalo e morto por um raio em 1785. O mensageiro transportava papéis escritos com códigos do Iluminismo, que tratavam dos planos da AIVB para subverter os maçons e os governos da Europa.

A ordem foi descoberta pela polícia e a ordem tornou-se clandestina. Mas ninguém realmente sabe o quanto a AIVB conseguiu penetrar nas lojas, de modo que hoje há muita polinização cruzada entre o Iluminismo (leia-se Illuminati) e a maçonaria. Tanto o Grande Oriente (há vários ligados ao Grande Oriente, formando uma federação no Brasil) quanto os ritos ocultos de Memfis-Mizraim (maçonaria egípcia) apresentam influências da mão de Weishaupt.
George W. Bush, quando assinou o School Proclamation, em 2000. Na ocasião, ele está rodeado de líderes maçons. Bush, desde a universidade, faz parte de uma sociedade secreta chamada "Skull and Bones" (Caveira e Ossos). Participações de vários líderes e personalidades políticas importantes foram filmadas no Bohemia Grove, no Club Bohemia, em São Francisco. Os cultos giram em torno de uma coruja gigante. Na mitologia maçônica, a coruja é o símbolo da sabdoria. A sociedade secrete "Skull and Bones" está diretamente ligada à AIVB, os iluministas da Bavária. Um dos expositores do que acontece ali foi Alex Jones, e suas revelações foram veiculadas em programas como "Good Morning, America", "60 minutes", e em canais como o Discovery Channel e o A&E.

O Chanceler Alemão Helmut Schmidt palestrou para a elite do mundo em um local apropriado para palestras no lago (em 1991). Helmut Schmidt, na sua auto-biografia “Homens e Poderes”, a retrospectiva política, disse que é membro do Conselho das Relações Estrangeiras, da Comissão Trilateral e do Grupo Bilberberg. Ele também disse que tem sido um participante ativo em trazer um governo no mundo. O senhor Schmidt também disse no seu livro que os líderes dos corpos globalizados vem sempre para o Bosque todo verão. Ele falou sobre bosques secretos na Alemanha onde eles fazem rituais druídicos, mas indicou que o Bosque Bohemian é o seu lugar favorito para participar desses rituais.

Estranha cerimônia no Club Bohemia, do qual são sócios vários ex-presidentes americanos, e o atual. Observe que os participantes do culto estão fazendo invocações em frente a uma coruja gigante, símbolo de sabedoria em religiões de mistério. De acordo com o site Jesus is Savior, várias espécies de sacrifícios acontecem ali. Um reduto exposto de expoentes máximos das sociedades secretas cujos discursos, recentemente divulgados na imprensa, demonstram claramente que os intuitos de vários dos principais governos do mundo é a instituição de uma Nova Ordem, o que balisa as teorias conspiratórias. Se tudo é tão bom e correto, porque a necessidade de tanto segredo? Por que líderes assumidamente cristãos e várias personalidades influentes e extremamente poderosas estão se reunindo, vestindo roupas estranhas, ao redor de uma coruja gigante, evocando práticas pagâs? Que forças estão atuando nestes encontros? Quais seus objetivos?

George W. Bush numa foto com alguns membros da "Skull and Bones" - Note o símbolo estranho da caveira e os ossos ao meio. Esta foto "embaraçosa" do atual presidente estadunidense é pouquíssimo conhecida!! A sociedade é formada por jovens ricos, com famílias de renome, e seus adeptos têm de preencher postos-chave na geopolítica americana.

Parece que Weishaupt deu asas às ambições geo-políticas des maçons de uma forma não vista desde os templários. Apesar de que a maçonaria sempre teve seus envolvimentos com a política, o uso que Weishaupt fez da Lei dos Cinco, das drogas e das intrigas do ocultismo serviu de alavanca para as correntes malignas da Loja. Esta fusão final da política com a bruxaria criou a maçonaria que conhecemos hoje.".
Referências

1. William Schnoebelen (foto), autor de vários livros, dentre eles "Maçonaria - do outro lado da luz". William ou Bill Schnoebelen foi maçon e bruxo, por vários anos. Atualmente, dá palestras sobre o tema, além de dirigir o With one accord ministries
2. A. C. de LARIVE, La femme et l´enfant dans la Franc, Maçonnerie Universelle, Paris, 1889, p. 588.
3. Charles W. HECKETORN, The secret societs of all ages and contries, University Book, New Hyde Park, NY, 1966, p. 279, 305-306.
4. A. Ralph EPPERSON, The unseen hand: an introduction to the conspiratory view of history, Publius Press, Tucson, 1985, p. 223.
5. Lady QUEENSBOROUGH, (Edit Starr Miller), Ocult Theocracy, Christian Book Club of America, Los Angeles, 1933, p. 217
6. William SCHNOEBELEN, Wicca: Satan´s little white lie, Chick Publications, Chino, 1990, p. 116-117.
7. Nesta H. Webster, Secret societs and subversives moviments, Britons Publishing Co., London, 1964, p. 235.
8. Jesus is Savior (website em inglês).
9. Fim dos Tempos (website em português).

Um comentário:

Por favor, note que os comentários são moderados e que todos
os spams, insultos, proselitismo e discursos de ódio serão removidos.