segunda-feira, 5 de abril de 2010

NÃO, O BRASIL DEFINITIVAMENTE NÃO É GAY

BBB É A MAIOR EXPRESSÃO DA SUBCULTURA MIDIÁTICA BRASILEIRA, MAS PODE SER QUE TENHA PRESTADO UM PEQUENO SERVIÇO DESSA VEZ
Imagem: Frederico Rozario/ TV Globo
Para que ninguém se apresse a tirar as suas maldosas conclusões somente pela ligeira leitura do título do post, adianto-me a afirmar que não acompanho a baixaria que já se repete há uma década na televisão aberta brasileira (não só pela óbvia verdade de que seja pecado, mas também por motivos puramente racionais e ideológicos, de modo que se fosse ateu, ainda assim teria amplas e justificadas razões para não acompanhar esse tipo de programação). Porém, não posso fingir que não sei o que está acontecendo, pois os sites, jornais e muitos outros meios de comunicação divulgam o reality show global, Big Brother Brasil, como se fosse algo extremamente importante e imprescindível para a sociedade. Quanto a isso, minha opinião é de que a política romana do “pão e circo” não mudou quase nada nos últimos séculos. E mais, sua eficácia é prova incontestável que essa é a melhor maneira de manter o povo entretido enquanto o Estado está em queda livre! No país que a maioria dos brasileiros não se lembra o nome do último político em quem votou, mas arrisca-se a opinar acerca da escala do próximo jogo, de quem vai ficar com quem no final da novela ou qual dos “brothers” vencerá o próximo reality show, não é difícil concluir que tenhamos uma politização de adestramento. O problema já vem de longe, desde o achamento do país, até sua completa expropriação por parte dos europeus que, a base de chibatadas ou de mentiras, apropriaram-se indebitamente das terras que proviam os genuínos brasileiros que aqui já viviam. Sei que, infelizmente, essa herança cultural da domesticação ainda nos acompanhará por muitos anos. A cultura bovina da aceitação passiva e acrítica das normas e regras mais arbitrárias que existem ainda perdurará.

Entretanto, essa noite, a ditadura da subcultura homossexual sofreu mais um terrível golpe e revelou algo já comprovado por várias pesquisas realizadas no país: o Brasil não é gay! Há pouco mais de um ano, o jornal carioca O Globo, em sua edição de 8 de fevereiro, divulgou uma pesquisa realizada pela Fundação Perseu Abramo em parceria com a Fundação Rosa Luxemburg, dando conta que 99% da população não aceita o homossexualismo como um comportamento normal. Em um microcosmo de 2014 pessoas, a pesquisa conseguiu comprovar sociologicamente que a visão de mundo brasileira, apesar das grandes concessões morais, ainda é de normalidade mediana, pois não se concebe uma relação entre pessoas do mesmo sexo como algo normal.

O reality show global que promove uma das maiores baixarias da televisão aberta brasileira, teve como campeão um participante que declaradamente não aceita o homossexualismo. Na edição da revista Veja do último dia 10, uma pequena reportagem intitulada “O estraga-prazeres”1, afirmou em seu subtítulo: “Estava tudo programado para a décima edição do Big Brother Brasil ser uma festa colorida (sic). Mais eis que o machão Marcelo Dourado botou fogo na casa”.2 Um trecho da matéria diz que uma “parcela do público [acha que] Dourado é um monstro”:

Com a escalação de um emo gay, uma drag Queen, uma lésbica e heterossexuais simpatizantes, a décima edição do BBB era destinada a ser uma celebração da “diversidade”, para usar a palavra em voga entre os politicamente corretos. Mas Dourado, de 37 anos (e que teve passagem apagada por uma versão anterior do BBB), estragou a festa. Militantes acusam-no de homofobia por declarações como a de que só os gays transmitiriam aids — que levou a Procuradoria da República em São Paulo a instaurar um inquérito contra a Globo. Há duas semanas, irritado com as fofocas da lésbica Morango, Dourado deu outra baixaria. Em meio a palavrões, vociferou que quebraria seus dedos e a despacharia para um hospital “se ela fosse homem”.3
É claro que sei que tudo pode não ter passado de um golpe de publicidade para fazer com que o vencedor do ano que vem seja um representante da comunidade GLBTS (Gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e simpatizantes), provocando uma virada do jogo ao levar a opinião pública a fazer com que um homossexual vença a próxima edição. Assim, a edição encerrada há poucas horas, seria na realidade uma forma de panfletagem para demonstrar como é necessário acabar com a discriminação e com a “homofobia” no Brasil. Portanto, nada de comemorar, vamos ficar de olhos bem abertos (não para assistir as baixarias da TV, mas de olho no Congresso Nacional, pois do jeito que a coisa vai o 1% pode ter privilégios inimagináveis sobre os 99%).

A única coisa que quis dizer acima, em termos bem claros e diretos, é que o ganhador já estava previamente definido. O público apenas — corroborando com a tese behaviorista — respondeu ao estímulo desejado pelos produtores da baixaria televisionada. Mas é possível que o contrário seja verdade e o tiro tenha saído pela culatra? Sim, ainda que improvável é possível também. Segundo a mesma matéria da revista Veja, o comportamento discriminador de Dourado deveria ter provocado uma reação negativa no público (isso se a maioria fosse realmente gay). Com a experiência de edições anteriores, o próprio diretor do BBB, Boninho, declarou: “‘O Brasil teria de mudar para que alguém que não seja pobre ou bonzinho triunfe no BBB’”. A despeito do raciocínio do diretor, o texto diz o seguinte:

Essa percepção, no entanto, foi posta em xeque. Dourado bateu a lésbica num paredão com recorde de 77 milhões de votos. Na semana passada, a marca voltou a ser rompida: numa eleição de 92 milhões, ele venceu a namoradinha de seu maior desafeto, o modelo Eliéser. [1] Ao que tudo indica, sua santificação não decorre de uma inclinação do público contra as minorias, e sim o oposto disso. [2] Há a sensação de que ele está sofrendo uma discriminação às avessas — uma espécie de “heterofobia”. [3] É patente que a franca maioria na casa preferiria vê-lo pelas costas. [4] Dourado se beneficia ainda da falta de outras figuras masculinas fortes. [5] Seu contraponto, o também fortão Cadu, é fofo demais para ser macho alfa.4
Observe atentamente as cinco últimas frases do período acima e pense um pouco acerca da manipulação. No raciocínio do jornalista que assina a matéria, o público teria votado no cidadão pelo fato de ser solidário com a discriminação que ele sofreu (por ser heterossexual) durante o período de confinamento! Em meio a um microcosmo colorido, o único “discriminador” recebeu solidariedade da população. Dessa forma, os 99% seria classificado como “simpatizantes” da homossexualidade. Bem, este é o desejo da ditadura oligárquica, mas a verdade é outra e pode ser que a décima edição do mais fútil dos programas da televisão aberta tenha corroborado com a tese de que, definitivamente, o Brasil não é gay. Motivos para comemorar? O tempo dirá.

NOTAS
1 MARTHE, Marcelo. Matéria: O estraga-prazeres. Revista Veja. Edição n°2 155, ano 43, n°10. Editora Abril: São Paulo, 10 de março de 2010, p.145.

2 Ibid.

3 Ibid.

4 Ibid.

7 comentários:

  1. Eu sou cristão e fico muito triste ao ver que um pastor tem uma mentalidade como a exposta nesse texto. É claro que Deus abomina o pecado e a homossexualidade, porem o Senhor também abomina pessoas preconceituosas e violentas, sem compaixão e amor ao próximo. Deve-se sempre lembrar que pecado é pecado, assim o pecado da homossexualidade é igualmente pecado como a homofobia, que é a total rejeição às PESSOAS homossexuais e geralmente se exterioriza em forma de violência. O Brasil nao é gay, mas também o brasil nao é um país cristão de verdade, mas um país com uma população hipócrita e extremamente pecadora, o que é próprio do ser humano. Então, fiquei triste por ver que um pastor, de certa forma, defendeu uma pessoa que tem atitudes que vao contra a vontade de Deus, que é amar as pessoas e tentar convertê-las através do amor, não através de coação. "Nem por força, nem poder, mas pelo Espírito". Infelizmente, no meio cristão existem muitos fariseus, que recriminam os outros, mas que também tem uma vida cheia de pecados. Que Deus tenha misericórida de todos.

    ResponderExcluir
  2. O post esta correto a biblia é clara que no tempo do fim os que o senhor entregar a morte serão de todo o extremo da terra e serão como exterco isso mesmo exterco, agora vai lá da uma de "bom santo" e critica DEUS por isso.
    DEUS abomina homossexualismo, isso é coisa do maligno coisa de satanas sim. Querendo ou não a igreja tbm esta repleta deste tipo de abominação, seja catolica, seja adventista, seja pentecostal e o mundo aqui fora tbm.
    É hora de pregar a verdade e a verdade tem um sabor doce mas tbm amargo de punição.
    Ja passou da hora de largar a hipocrisia de tentar justificar o pecador pelo amor de DEUS, isso sim que é um pecado uma afronta ao onipotente.
    Quando o senhor jesus cristo, aparecer sobre as nuvens dos ceus, com todo o PODER e GRANDE GLORIA e todos os anjos com ele, será o fim e não adiantará falar em amor, em defesa de pecador de abominação. Quem estiver em pecado vai cair por terra e não suportara a gloria do onipotente, é hora deste povo (pecador) se ligar nisso ou abandona o pecado e abominação que vive, ou aguente as consequencias e se acerte com o onipotente depois.
    DEUS É AMOR, MAS TBM É JUSTIÇA.

    ResponderExcluir
  3. "DEUS abomina homossexualismo, isso é coisa do maligno coisa de satanas sim. Querendo ou não a igreja tbm esta repleta deste tipo de abominação"

    é muito interesante ver isso de alguém que segue um blog chamado "Mundo Masculino Gay"

    http://www.blogger.com/profile/01375590154540141415

    ResponderExcluir
  4. Besteira Robert, ele lá é o nosso espião...prá descobrir vossa conspiração contra a Deus, a Igreja e a Família. Rs, rs.

    ResponderExcluir
  5. espero que aprovem lei contra homofobia logo, quero ver quem vai ser macho suficiente pra falar mal de alguem que tem uma orientação diferente.
    A homossexualidade foi encontrada em 450 espécies conhecidas, mas a homofobia somente em uma, qual e a anti natural.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é os racionais discordam das irracionalidades animais

      Excluir
  6. Se vcs estudarem a biblia, verao que no antigo testamento diz que o homesseualismo e abominação, diz tb que se seu vizinho trabalhar nos sabados vc deve mata-lo.(antiga aliança) n tem nada a vr com a nova aliança.

    ResponderExcluir

Por favor, note que os comentários são moderados e que todos
os spams, insultos, proselitismo e discursos de ódio serão removidos.